nsc
dc

Gestão de Valor

Mais crédito e menos burocracia: Abrir um negócio é mais fácil em Florianópolis

Programas de aceleração da economia fortalecem o empreendedorismo na Capital, favorecendo a geração de emprego e renda

30/08/2021 - 11h13 - Atualizada em: 30/08/2021 - 11h17

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Retomada econômica em Florianópolis conta com projetos de incentivo da PMF
Retomada econômica em Florianópolis conta com projetos de incentivo da PMF
(Foto: )

Desde o início da pandemia, Florianópolis tem sido destaque positivo no combate à Covid-19 no país. Recentemente, o município atingiu a marca de 100% da população adulta vacinada com a primeira dose, ficando em primeiro lugar entre as capitais da região Sul no ranking de imunização. Paralelamente ao desenvolvimento dos protocolos de segurança sanitária e à imunização em larga escala, a Prefeitura de Florianópolis vem desenvolvendo ações de enfrentamento da crise econômica, agravada pela pandemia.

> Tecnologia deve tornar setor público mais eficiente

A retomada da economia da Capital começou com foco nos setores que mais sofreram com as restrições de circulação, como as micro e pequenas empresas. Com a implantação de novos programas de estímulo ao empreendedorismo e a atualização de outros já existentes – somadas à diminuição das restrições sociais – as atividades econômicas da capital começam a recuperar o fôlego e a gerar emprego e renda.

Juro Zero Floripa facilita o acesso ao crédito

Criado em 2017 como uma peça-chave no fomento aos microempreendimentos da Capital, o Juro Zero Floripa passou por algumas transformações, que ampliaram o acesso ao crédito e facilitaram a quitação do saldo devedor e passou a se chamar Juro Zero Floripa Especial.

Nesse novo modelo, os microempreendedores individuais (MEIs) passaram a ter até três mil reais disponíveis para empréstimo, em até três tomadas de crédito por CNPJ. As microempresas podem solicitar até cinco mil reais, em até duas tomadas de crédito.

O prazo para pagamento também foi ampliado. Tanto MEIs quanto microempresários têm até 12 meses para quitarem a dívida, em parcelas mensais, com carência de até 90 dias. Os juros que recaem sobre os dias de carência são pagos pela Prefeitura, que também arca com os juros das parcelas, quando pagas no prazo. Ou seja: quem mantiver o pagamento em dia não pagará nenhum juro referente ao empréstimo.

Essa mudança trouxe impactos reais na vida de empreendedores, como o Wolney Tadeu Mota, milésimo MEI beneficiado no programa Juro Zero, que viu o benefício do empréstimo mudar, também, a vida da família de seu funcionário.

> Empreendedorismo por necessidade desperta para novas oportunidades profissionais

— Meu funcionário tem três filhos. Um deles tinha 17 anos no início da pandemia, e com o fechamento do comércio e a suspensão de muitas atividades, o rapaz ficou parado. Com o dinheiro do empréstimo, comprei uma nova máquina e ensinei o jovem a trabalhar. Hoje ele está com 18 anos, já é um profissional e pode seguir a vida dele. Eu digo que esse rapaz também é fruto do Juro Zero – afirma Wolney.

Wolney Tadeu Mota foi participante do projeto Juro Zero Floripa Especial
Wolney Tadeu Mota foi participante do projeto Juro Zero Floripa Especial
(Foto: )

Outros jovens, assim como o filho do funcionário de Wolney, também foram impactados positivamente por ações da prefeitura. No programa Floripa Mais Empregos, por exemplo, eles foram os maiores beneficiados com os cursos e oficinas profissionalizantes.

Parcerias ajudam a desburocratizar a abertura de empresas

Além dos projetos próprios, a Prefeitura de Florianópolis conta com parceiros fundamentais para que a retomada econômica seja feita de forma consistente e que possa trazer resultados tanto imediatos quanto duradouros.

Uma dessas parcerias, com a Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc), permitiu a criação do Floripa Simples, que vem reduzindo o processo burocrático para a abertura de um estabelecimento comercial. Atualmente, o solicitante não precisa mais ir presencialmente à Jucesc ou aos órgãos de meio ambiente ou aos Bombeiros, nem pagar taxa de consulta, pois a maior parte do processo é feita on-line. Com isso, o prazo médio, que era de 60 a 70 dias, caiu para cerca de 1 dia.

O município também se mantém aberto a outras iniciativas inovadoras, como o programa Cidade Empreendedora, do Sebrae/SC. Da parceria entre Secretaria Municipal de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico de Florianópolis e o Cidade Empreendedora, surgiu a Casa do Empreendedor, um espaço onde são realizados serviços administrativos para abertura e manutenção de micro e pequenas empresas.

A empresária Gabriela Zomer é uma das beneficiadas pela desburocratização do processo para abertura de novos negócios: ela precisou de somente cinco horas para formalizar sua loja de moda feminina no Centro de Florianópolis – há quatro anos, ela precisaria esperar em torno de 60 dias.

> Sustentabilidade empresarial ganha cada vez mais força no Brasil

— A abertura da loja foi bem rápida. Assim que reuni a documentação e entreguei para o contador todos os documentos necessários para fazer a abertura, paguei a guia e em cinco horas eu estava com o CNPJ em mãos — conta Gabriela.

Para a Prefeitura, favorecer a criação de novos negócios e fortalecer o empreendedorismo é uma maneira eficiente de retomar o desenvolvimento econômico e social e construir uma cidade mais humana e com mais oportunidades.

Acesse o canal Gestão de Valor do NSC Total.

Leia também

Afinal, qual é a importância das engenharias para a sociedade?

Riscos do Day Trade: Operações diárias na bolsa possuem volatilidade elevada

Planejamento financeiro é chave para futuro mais seguro

Colunistas