nsc
    an

    DECISÃO JUDICIAL

    Médicos de Joinville suspeitos de fraudar ponto são afastados e têm salários suspensos

    Profissionais trabalham no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt e são investigados pela Polícia Civil

    20/12/2020 - 08h47 - Atualizada em: 20/12/2020 - 10h18

    Compartilhe

    Hassan
    Por Hassan Farias
    Hospital Regional Hans Dieter Schmidt
    Hospital Regional Hans Dieter Schmidt
    (Foto: )

    Os 11 médicos de Joinville investigados por suspeita de fraudar o registro do ponto de trabalho no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt foram afastados das funções por decisão judicial. Eles também tiveram os salários suspensos e estão proibidos de acessar o hospital ou ter contato com os funcionários.

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    A decisão judicial foi tomada na última sexta-feira (18) após representação pelo afastamento dos médicos investigados pela Polícia Civil. O objetivo é evitar que as investigações sejam prejudicadas.

    - A direção do hospital informou que alguns investigados estariam indo até o local, tumultuando o ambiente de trabalho e tentando influenciar os demais funcionários que tem conhecimento das fraudes praticadas - explicou o delegado Rafaello Ross, responsável pela investigação.

    O delegado deve concluir o inquérito nos próximos 30 dias. Segundo a Polícia Civil, os médicos registravam as digitais no ponto eletrônico e saíam da unidade sem cumprir a jornada integral, voltando apenas no fim do expediente para marcar a saída. Um deles chegou a ser flagrado em um motel durante o horário de trabalho.

    Os suspeitos são médicos concursados pelo Estado e deveriam cumprir carga horária de 80 horas presenciais mensais no Hospital Regional. Segundo o delegado da Divisão de Investigação Criminal (DIC), Rafaello Ross, entre os investigados há profissionais com vínculo funcional de até 20 anos. O salário dos envolvidos varia de R$ 9 mil a R$ 20 mil.

    Dois médicos chegaram a ser presos na última terça-feira (15) após serem flagrados dormindo em casa durante o horário de trabalho. As prisões aconteceram durante a Operação Ponto Fraudado, que cumpriu mandados de busca e apreensão nas casas dos suspeitos. No entanto, os dois profissionais pagaram fiança de R$ 31 mil e foram liberados.

    Leia mais

    > Menino de seis anos é encontrado sozinho de madrugada em estrada de Guaramirim

    > Caminhão sem freios invade casa em Joinville; veja o vídeo

    > Médico de Joinville recebe alta depois de 149 dias na UTI para pacientes com Covid-19; veja vídeo

    Colunistas