nsc
nsc

Organização

5 motivos para contar com um planejador financeiro

Formar reserva de emergência e investir para aumentar a rentabilidade são alguns dos fatores que podem ter o auxílio de um profissional do mercado

31/03/2022 - 17h47 - Atualizada em: 31/03/2022 - 18h00

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Planejador financeiro - Warren - NSC
Organizar as finanças é essencial para alcançar qualidade de vida.
(Foto: )

Começou o ano no vermelho? Você não está sozinho. A Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que 76,6% das famílias estão endividadas. E o dado mais preocupante é a inadimplência, que atingiu o maior patamar desde março de 2010. 27% das famílias brasileiras estavam inadimplentes em fevereiro, 0,6% a mais do que o indicador registrado em janeiro e 2,5% a mais do que em fevereiro do ano passado.

Manter os gastos equilibrados é um desafio. Utilizar o cartão de crédito com cautela, avaliar o percentual de despesas em cada categoria e definir um montante para lazer são algumas medidas que são necessárias para melhorar a vida financeira.

Guardar parte do salário todos os meses, manter uma reserva de emergência para imprevistos e investir para não depender da previdência pública no futuro pode parecer realidade distante para uns, mas ter um planejamento financeiro é para todos. Por isso, elencamos cinco motivos para contar com um planejador financeiro.

1. Para entender o motivo de poupar

Contar com um planejamento financeiro parece coisa de quem tem dinheiro de sobra? Não é bem assim. Hoje, aplicativos podem auxiliar nessa jornada, dividindo categorias e organizando as despesas. Também há estabelecimentos que oferecem planejamento financeiro gratuito para clientes. Assim, qualquer um pode ter acesso a um planejamento de qualidade.

Richardson Ribeiro, especialista em investimentos na Warren, destaca que o planejamento financeiro também é essencial para quem está endividado e que a organização financeira deixa de ser um tabu com o passar do tempo.

— Não entender qual a finalidade da organização financeira é comum, mas, com o planejamento financeiro em mãos, a pessoa já vai pensar sobre o que fazer com o dinheiro — afirma Richardson.

2. Para a sua organização pessoal e proteção contra imprevistos

Não é preciso cortar o cafezinho sempre. É claro que para atingir objetivos financeiros, é necessário fazer sacrifícios e abrir mão de benefícios hoje para ter uma vida mais tranquila no futuro. No entanto, é possível sim determinar uma parcela ao lazer e itens que podem ser considerados supérfluos para uns, mas desejáveis para outros. Cada um possui suas prioridades. Além disso, o planejamento financeiro dá mais proteção contra imprevistos. Se o carro quebrar, o cônjuge ficar doente ou for demitido, recorrer a amigos e parentes, além de desgastar a relação, mostra que a pessoa não é protagonista da própria vida financeira. Para isso, uma reserva de emergência evita que o indivíduo fique no vermelho e tenha grandes estresses.

— Você pode ficar desempregado ou, como vimos na prática, ter que enfrentar uma pandemia que limite sua capacidade laboral e faça com que você tenha que recorrer às reservas para atender às despesas mensais — detalha o especialista.

3. Para entender seus pontos fracos – e gatilhos

Com um planejamento definido, é mais fácil abdicar daqueles desejos desenfreados de consumo. Quando você anota os gastos e paga à vista, é normal levar o montante que vai embora mais a sério e avaliar: preciso mesmo disso?

— Todo processo que nos leva a algum lugar exige uma disciplina e um esforço para chegar lá. Para emagrecer, é preciso mudar a dieta, entrar em uma academia e destinar um tempo para esse objetivo. Nos investimentos não é diferente, a gente vai abrir mão de algumas coisas que a gente faz hoje para poder fazer no futuro. Se não tiver uma reserva, não consigo viajar amanhã — exemplifica o especialista.

> Comece a investir e multiplique seus rendimentos; veja como

Para fazer isso, talvez seja necessário abdicar de uma bolsa mais cara, roupa de marca ou diminuir a frequência nos bares e restaurantes favoritos. O importante é controlar as dívidas, mesmo destinando parcela para gostos pessoais, se possível, e evitar passar daquele limite.

4. Para definir objetivos concretos na sua vida financeira

Não sabe aonde quer chegar? Ótimo. Muitas vezes, não sabemos definir ao certo sobre quais os planos ou metas para o futuro. No entanto, a tendência é saber do que gostamos. Viagens? Ler livros? Cozinhar? Andar de carro? Estabilidade, por meio de uma residência no futuro? Ao vislumbrar pequenos passos e metas a curto prazo, podemos evoluir para as de médio e longo prazo – e isso fica mais fácil com auxílio de um especialista.

Planejamento financeiro - Warren
Poupar, planejar e investir para alcançar os objetivos financeiros pode ser mais simples do que parece.
(Foto: )

5. Para realizar sonhos e investir com qualidade

Se você gosta de conhecer o mundo, o planejamento financeiro vai ajudar você a definir quantas viagens podem ser realizadas por ano e qual a expectativa de gastos a cada trajeto. Se você quer ter filhos, o planejamento deve estimar qual valor por ano pode ser gasto com despesas decorrentes de médicos, reformas no apartamento, entre outros. Como os sonhos e objetivos são individuais, o profissional da área vai ajudar o cliente a chegar às metas estipuladas para que ele viva bem e garanta uma vida mais segura a longo prazo.

E agora, como começar?

O planejamento financeiro traz benefícios de curto a longo prazo. Algumas atitudes simples podem ser adotadas desde já, mesmo sem um profissional ao seu lado, para começar a organizar suas finanças.

Abaixo, um passo a passo para o planejamento financeiro:

  • Tenha ajuda de uma planilha financeira ou aplicativo para organizar rendimentos, despesas fixas, dívidas e custos variáveis
  • Registre as dívidas parceladas à parte, apontando o andamento dos pagamentos
  • Defina objetivos de curto prazo. Aqui, entra até sair das dívidas e guardar uma primeira reserva de emergência
  • Avalie suas metas mês a mês. Conseguiu atingir? Ótimo. Caso contrário, onde errou? Houve imprevistos que impossibilitaram o cumprimento?
  • Defina metas anuais e de longo prazo, como comprar um automóvel, iniciar um financiamento imobiliário ou atingir determinado valor de investimento.

E se você quiser contar com profissionais qualificados e experientes, conheça a Warren.

Acesse mais conteúdos sobre investimentos e saúde financeira no portal Investe Mais.

Leia também

Quais as estratégias para diversificar os investimentos?

Onde investir em 2022? Veja algumas opções

Como a taxa Selic influencia seus investimentos?

Colunistas