nsc
dc

Alerta

Novos sintomas da Covid-19 são descobertos e diagnosticados

Sinais da doença aparecem de formas variadas em adultos

08/06/2022 - 10h35 - Atualizada em: 15/06/2022 - 10h14

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
São nove os novos sintomas da Covid-19 detectados
São nove os novos sintomas da Covid-19 detectados
(Foto: )

A pandemia perdurou. Novas variantes apareceram conforme a doença continuava e se alastrava pelas regiões do mundo inteiros. Com isso, novos sintomas da Covid-19 foram descobertos e diagnosticados. O Reino Unido chegou a ampliar a lista oficial com as intercorrências do coronavírus.

> Receba notícias do DC via Telegram

Com a chegada da Ômicron, uma das variantes da doença, e também da vacinação, sintomas como tosse seca, perda de olfato e paladar deixaram de aparecer tão frequentemente. Essa variante do SARS-CoV-2 marcou, na verdade, a presença cada vez maior dos sintomas "menos comuns".

> Como recuperar o paladar depois da Covid-19; Confira dicas

Novos sintomas da Covid-19

  • Falta de ar
  • Cansaço ou exaustão
  • Dores no corpo 
  • Dor de cabeça
  • Garganta inflamada
  • Nariz entupido ou escorrendo
  • Perda de apetite
  • Diarreia
  • Enjoo

Estes foram os novos sintomas da Covid-19 oficiais incluídos na lista de sinais para a doença no Reino Unido. Estudos do Serviço Nacional de Saúde (NHS) do país divulgaram as nove intercorrências na saúde de adultos que podem provavelmente ser coronavírus.

Variantes e mudanças de sintomas da Covid-19

Circulam pelo mundo pelo menos cinco variantes que ainda preocupam as autoridades de saúde. Elas são consideradas mais transmissíveis e com maior risco de levar a casos de gravidade: alfa, beta, gama, delta e ômicron. Os nomes do alfabeto grego foram dados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no intuito de facilitar a comunicação, a notificação de casos e reduzir preconceitos.

> Pode beber depois de tomar a vacina da Covid-19?

As variantes fazem com que o vírus seja modificado e não seja erradicado por completo. Além disso, também são responsáveis por fazer com que um paciente que já tenha contraído Covid-19 se infecte novamente com a doença.

Dessa forma, quanto mais o vírus da Covid-19 circular, através da movimentação das pessoas, mais oportunidade terá de sofrer mutações. Portanto, é necessário para reduzir o risco de contaminação entre as pessoas é se vacinar contra a doença (com todas as doses necessárias, de acordo com o esquema de vacinação).

Além disso, é importante também que as pessoas continuem tendo hábitos de higiene, para conter a contaminação como por exemplo usar máscaras, manter a higiene das mãos, deixar os ambientes bem ventilados sempre que possível, evitar aglomerações e reduzir ao máximo o contato próximo com muitas pessoas, principalmente em espaços fechados.

> Pode tomar vacina da Covid-19 gripado?

O vírus da Covid-19 original

Desde o surgimento da versão original do vírus em 2020, a cepa de Wuhan, os sintomas da Covid-19 considerados comuns em todos os países são:

febre, tosse seca, cansaço e perda do paladar ou do olfato. Os menos comuns, mas também relatados, são dor de cabeça, garganta inflamada, olhos vermelhos ou irritados, diarreia, erupção na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés. Já os sintomas mais graves envolvem dificuldade de respirar ou falta de ar, perda de fala ou mobilidade, confusão mental e dor no peito, de acordo com a OMS.

Na maioria dos casos de Covid-19, apenas alguns destes sintomas aparecem entre cinco a 14 dias após a infecção, mas a grande maioria permanece assintomática. Em casos graves, a recomendação da OMS é que se procure ajuda médica.

> H3N2: veja sintomas da variante da gripe que se espalhou pelo país

Perguntas e respostas sobre a vacinação da Covid

Leia também

Vacina da Pfizer aumenta os seios?

Por que pessoas morrem mesmo vacinadas contra a Covid-19?

Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Colunistas