Grande parte das doenças e distúrbios metabólicos que afetam as artérias e o coração pode ser tratada, ou até evitada, com mudanças nos hábitos de vida. Uma alimentação adequada e a prática de atividades físicas regularmente são fundamentais para uma vida mais saudável.

Continua depois da publicidade

> Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

Além de proteger o coração, enrijecer os músculos e aumentar o condicionamento físico, os exercícios também colaboram para o controle do colesterol. A prática de atividades físicas ajuda a diminuir os níveis de colesterol ruim e aumentar o colesterol bom.

De acordo com Saulo Batista, professor de Educação Física, a atividade física se torna importante nesse contexto por estimular a produção de HDL (colesterol bom), aumentando a qualidade de vida dos praticantes.

Opção efetiva de tratamento

Alguns especialistas defendem que a atividade física pode ser mais eficaz do que os remédios no combate ao colesterol alto. Contudo, essa relação não se deve aos números em si, mas à mudança de comportamento.

Continua depois da publicidade

“Exercício físico modifica comportamentos e padrões viciosos. Medicamentos não. Quando adotamos a proposta de fazer exercícios físicos e cuidar da alimentação com o objetivo de cuidar da saúde, promovemos uma modificação de comportamento”, defende o professor de Educação Física Helson Anacleto.

De acordo com a endocrinologista Cristiane Moulin, os médicos só indicam a medicação para tratamento nos casos em que não houve melhora com a implementação da atividade física ou em pacientes com fatores de risco específicos associados.

> Veja como montar um prato equilibrado e emagreça de forma saudável

Atividades mais eficazes

Para que a atividade física auxilie na redução do colesterol e no aumento do HDL é importante que ela seja feita com o acompanhamento de um profissional de saúde. De acordo com Cristiane Moulin, os exercícios aeróbicos, como corrida, caminhada, natação e bicicleta, são os mais efetivos no combate ao colesterol alto.

Entretanto, a escolha da modalidade irá depender da preferência de cada um. “Como as respostas benéficas requerem uma prática contínua de atividade física, o exercício deve ser uma prática que traga prazer para que se tenha aderência”, aconselha a endocrinologista.

Continua depois da publicidade

> Mitos e verdades sobre nutrição

Atividades físicas que ajudam a combater o colesterol alto
Natação é uma das atividades físicas mais efetivas contra o colesterol alto (Foto: Shutterstock)

Importância da persistência

Para que a prática de atividade física apresente os resultados esperados, é importante que ela seja frequente. Ou seja, não adianta caminhar uma vez por semana e acreditar que será suficiente para combater os altos níveis de colesterol e auxiliar na manutenção da saúde.

> Saiba quais atividades físicas ajudam a eliminar peso

Claro que caminhar uma vez por semana é melhor do que nenhuma vez, mas, de acordo com a endocrinologista Cristiane Moulin, quanto mais atividade física, maior será o impacto sobre o perfil lipídico.

“[É importante] lembrar que a intensidade deve ser crescente até certo limite, a partir do qual o risco de lesões, principalmente osteomusculares, excede o benefício em potencial. O recomendado é a prática de atividade aeróbica na maioria dos dias da semana, no mínimo 4 vezes por semana”, determina.

Procure um médico

O acompanhamento de um especialista no esporte é recomendado para orientar quanto à intensidade, descanso e alimentação, garantindo a segurança do paciente. Independentemente do objetivo – seja perder peso, deixar o sedentarismo ou melhorar os níveis de colesterol – o primeiro passo antes de iniciar uma atividade física é passar por um check-up médico.

Continua depois da publicidade

Leia também

4 mitos e verdades sobre o uso do mel

Brotoeja: conheça os sintomas, tratamentos e veja como evitar

Conheça a dieta mediterrânea e os seu benefícios

Destaques do NSC Total