nsc
nsc

Dieta saudável

Conheça a dieta mediterrânea e os seu benefícios

Ela prioriza alimentos ricos em nutrientes, previne doenças e ajuda no emagrecimento

29/04/2022 - 11h00

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Dieta do Mediterrâneo favorece a longevidade
Dieta do Mediterrâneo favorece a longevidade
(Foto: )

A dieta mediterrânea é baseada na alimentação dos povos banhados pelo Mar Mediterrâneo. Tudo começou por volta dos anos 50, quando pesquisadores foram à Creta, ilha grega, e perceberam que as pessoas que moravam lá tinham menos problemas de saúde do que os americanos e britânicos.

> Quer receber notícias por WhatsApp?

“Esses fatores foram atribuídos ao padrão alimentar dos países banhados pelo mar mediterrâneo, e até hoje é uma dieta estudada e publicada como favorecedora do aumento da longevidade”, afirma a nutricionista Daniela Medeiros.

Foco da alimentação

Segundo Daniela Medeiros, a dieta mediterrânea é um conjunto de tradições alimentares, conhecimentos e técnicas artesanais, que os povos do Mediterrâneo reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural.

“Tradicionalmente, seu cardápio consiste no elevado consumo de cereais – de preferência não refinados –, óleo de oliva e azeitona, frutas, hortaliças, legumes, frutas secas e peixe, consumo moderado de laticínios, principalmente queijos e iogurte, reduzida quantidade de carne e derivados e moderada quantidade de vinho, se desejado”, enumera a nutricionista.

> Saiba como substituir proteína animal por proteína vegetal

Consumo de gorduras

A dieta do Mediterrâneo também limita o consumo de gorduras. Estabelece o baixo consumo de gorduras saturadas e alta ingestão de monoinsaturadas e proteínas saudáveis. “Este melhor equilíbrio de gordura favorece um melhor perfil lipídico, melhora o funcionamento intestinal e controla o apetite”, explica Daniela Medeiros.

Dieta mediterrânea é baseada no consumo de peixe, cereais, frutas e vegetais
Dieta mediterrânea é baseada no consumo de peixe, cereais, frutas e vegetais
(Foto: )

Auxilia no emagrecimento

Por ser uma dieta que prioriza alimentos ricos em nutrientes e pobres em gorduras “ruins”, ela pode, sim, auxiliar no emagrecimento, se for acompanhada por um nutricionista.

“Esta dieta trará uma excelente funcionalidade metabólica ao organismo. Mas, quando se foca em um emagrecimento, é necessário dosar de maneira equilibrada todos os alimentos ingeridos pela pessoa de maneira individualizada, ou seja, cada corpo tem o seu valor calórico de consumo para perder, manter ou ganhar peso”, explica a nutricionista Fernanda Alves.

> Dieta dos pontos: entenda como funciona

Redução de medidas

De acordo com Fernanda Alves, se a dieta mediterrânea for feita com acompanhamento, é possível reduzir algumas medidas. “Quando se dosa essa dieta de maneira saudável, com o acompanhamento de um nutricionista, é possível perder, em média, no período de 6 semanas, de 2 a 5 kg de peso”, afirma.

No entanto, a nutricionista alerta que, “quando nosso corpo começa a entrar em processo de perda de peso de maneira saudável, primeiro há uma regulação hídrica, desincha, elimina o excesso de compostos que o intumesce. Portanto, há de se distinguir melhor o que seria mesmo perda de massa tecidual ou apenas eliminação de excesso dos fluidos”.

Elimina de gordura localizada

Conforme explica a nutricionista Fernanda Alves, a dieta mediterrânea também pode auxiliar na perda de gordura localizada, “uma vez que possui alto teor de fibras e de baixa densidade energética, através da abundância de alimentos da linha vegetal, além do alto consumo de água – o que facilita todo trabalho de regulação intestinal e metabólico”.

> Como melhorar a alimentação e combater a gordura abdominal

Ação dos micronutrientes

Fernanda Alves destaca que a grande quantidade de micronutrientes, que auxiliam no processo de perda de peso, são também bons aliados para reduzir as medidas abdominais. O cromo, por exemplo, está muito presente nas frutas secas e cereais integrais, que são as bases da dieta mediterrânea.

“Este mineral é um oligoelemento que desempenha um papel importante no metabolismo dos açúcares (melhorando a ação da insulina) e das gorduras (reduzindo a taxa de colesterol e o excesso de gorduras localizadas)”, explica.

Outro ponto importante para definir a região abdominal é unir uma alimentação saudável com a prática de atividades físicas. Assim, além de ter o corpo que deseja, você também conquistará mais saúde e longevidade.

Leia também

Conheça o poder dos grãos e sementes para a saúde

Abdominal hipopressiva: conheça a técnica que ajuda a reduzir medidas

Whey protein: saiba para que serve e como consumir

Colunistas