nsc
nsc

Ajuda em dose dupla

Para ajudar mãe e avó, administradora recorre a plataforma de cuidadores

Com a mãe deficiente visual e avó com Alzheimer, Silvia precisou buscar ajuda

06/08/2021 - 16h13 - Atualizada em: 06/08/2021 - 17h06

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Apesar do foco ser para os idosos, o Nonno também possui profissionais capacitados para atender pessoas com outras necessidades
Apesar do foco ser para os idosos, o Nonno também possui profissionais capacitados para atender pessoas com outras necessidades
(Foto: )

Enquanto a população envelhece, o desafio de quem vive mais é viver melhor. Mais suscetíveis a doenças crônicas ou a problemas de saúde relacionados a quedas, a pandemia trouxe à tona o tema de cuidados com os idosos, muitas vezes isolados e sem o acompanhamento necessário.

> Como encontrar um cuidador para seu avô; veja algumas dicas para acertar na contratação

Foi durante o período de crise sanitária que a administradora Silvia Guimarães, de 37 anos, buscou ajuda especializada para a avó Laura, de 96 anos e com Alzheimer, e para a mãe Rita, de 65 anos, deficiente visual. Antes, a atenção era dada por outro integrante da família de forma conjunta e, infelizmente, o arranjo não estava mais atendendo as necessidades de horários e limitações das idosas. Em novembro do ano passado, uma profissional cuidadora iniciou os trabalhos com toda a atenção requerida para as particularidades da família.

— A profissional trata as duas com muito carinho e gosta muito delas. Faz exercícios físicos com minha mãe, faz leitura de livros para ela que não enxerga, a ajuda na locomoção quando necessário, faz as comidinhas delas, almoço, bolo, vitaminas, sucos, dá banho, faz a higiene delas, corta as unhas, troca a calcinha higiênica, mantém as coisinhas delas sempre limpas. Elas gostam muito da cuidadora — conta.

Envelhecimento populacional é realidade

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que em 2043, um quarto da população deverá ter mais de 60 anos. Com o envelhecimento, o número de familiares que cuidam de idosos no país teve um crescimento expressivo nos últimos anos — saltou de 3,7 milhões em 2016 para 5,1 milhões em 2019.

Ainda segundo o instituto, considerando os idosos as pessoas acima de 60 anos, 17,3% deles apresentam limitações funcionais para realizar as atividades fundamentais para a vida diária, como ir ao mercado, tomar remédios, usar o telefone, administrar finanças e fazer serviços domésticos. Quando a análise é para o grupo acima de 75 anos, o indicador sobe para 39,2%.

Ainda conforme o IBGE, as principais atividades requeridas pela população idosa são monitorar ou fazer companhia dentro do domicílio, auxiliar nos cuidados pessoais, e transportar ou acompanhar para escola, médico, exames, parque, praça, atividades sociais, culturais, esportivas ou religiosas. No entanto, como muitas vezes o familiar que está mais envolvido com os cuidados, como um filho ou filha trabalha, nem sempre é possível estar nos horários necessários para uma atenção completa, o que reforça a importância de contratar alguém especializado – evitando assim acidentes como quedas dentro de casa.

Cuidado capacitado e com amor

Quando veio a pandemia, Silvia primeiro buscou uma profissional autônoma, por meio de indicações. Quando os serviços não deram certo, ela procurou a Nonno, indicada pela própria profissional.

> Idosos precisam de companhia; Saiba porque é importante este cuidado

— E quando não deu certo com essa pessoa, imediatamente comecei a pesquisar sobre a Nonno, sendo que, quando vi o site no Google já comecei a gostar da empresa. Adicionei o celular de contato para tirar dúvidas e a partir daí comecei a trocar mensagem com o Matheus Alban, que desde o primeiro contato foi receptivo e me tratou sempre com educação. Iniciamos o relacionamento em novembro do ano passado e desde então as minhas necessidades são supridas, sendo que a família nunca fica na mão, pois em caso de falta ou ausência da cuidadora, a empresa repõe com outra profissional para fazer as atividades do dia — completa.

Os cuidados com os idosos estão no sangue da família. Em 2019, Fernando Alban e Matheus Alban fundaram o Nonno, ferramenta que disponibiliza profissionais de confiança, com serviço personalizado e acompanhamento contínuo.

A história havia iniciado muito antes. Em 1996, A família Alban fundou uma casa para idosos no interior do Rio Grande do Sul. Em 2015, a família se reuniu em uma viagem para países da América do Sul, entrevistando idosos de diferentes regiões e verificando quais seriam suas necessidades. Não importa o país, muitos idosos ainda são abandonados sem cuidados de parentes ou conhecidos.

Por isso, a plataforma busca auxiliar as famílias que buscam por serviços de cuidado e de acompanhamento para entes queridos. Os clientes podem contratar acompanhantes, cuidadores formados, técnicos de enfermagem e enfermeiros nos períodos desejados, seja por hora ou de forma recorrente, tudo de maneira muito prática e sem burocracia.

> Dependência química: “Tratar com muito amor e respeito, é o que eles merecem”

Apesar do foco ser para os idosos, o Nonno também possui profissionais capacitados para atender pessoas com outras necessidades — seja com deficiência, alguém que passou por uma cirurgia, entre outros. Além disso, os clientes podem dar o feedback sobre os profissionais que prestaram o serviço — prezando sempre, assim, pela qualidade do atendimento, com muito amor.

Precisa de ajuda para contratar um profissional especializado para cuidar de um ente querido? Entre em contato com o Nonno.

Leia também

Brasil garante 20ª medalha e bate recorde de pódios nas Olimpíadas

Com home office, busca por cadeiras gamer cresceu mais de 800% após o início da pandemia

Crédito com garantia imobiliária é alternativa para conseguir financiamentos maiores

Colunistas