nsc
dc

Propaganda

Pastores distribuíram bíblias com fotos do ministro Milton Ribeiro em evento do MEC, diz jornal

Caso foi denunciado pelo jornal O Estado de S. Paulo e envolve também pastores ligados a suposto esquema de propina para liberação de verbas

28/03/2022 - 11h10 - Atualizada em: 28/03/2022 - 11h12

Compartilhe

Isadora
Por Isadora Nolf
Ministro da Educação Milton Ribeiro
Ministro da Educação Milton Ribeiro
(Foto: )

Bíblias com fotografias do Ministro da Edudação, Milton Ribeiro, e dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura foram distribuídas em Salinópolis (PA), durante um evento do MEC realizado em julho de 2021. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O encontro reuniu prefeitos e secretários municipais do Pará, além do Ministro e os pastores, que teriam propina em barras de ouro para liberar verbas do MEC. Os exemplares da Bíblia também mostram o prefeito de Salinópolis, Carlos Alberto de Sena Filho (PL), conhecido como Kaká Sena, entre a contracapa e a folha de rosto, destacando seu "patrocínio" do evento. 

Segundo participantes do evento na reportagem publicada pelo Estadão, Sena custeou uma tiragem de mil Bíblias, a R$ 70 cada. A edição foi feita pela Igreja Ministério Cristo para Todos, um ramo da Assembleia de Deus, que tem uma gráfica em Goiânia. A igreja é comandada pelo pastor Gilmar Santos. 

Polêmica no MEC

Áudios enviados pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, revelados pela Folha de S. Paulo na última segunda-feira (21), expõem a afirmação de Ribeiro sobre o direcionamento de verbas do Ministério da Educação (MEC) a prefeitos indicados pelo pastor Gilmar. 

A atitude, conforme Ribeiro, é pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Além disso, o prefeito Gilberto Braga (PSDB), do município maranhense de Luis Domingues, afirmou que um dos pastores que negociam transferências de recursos federais para prefeituras pediu 1 quilo de ouro para conseguir liberar verbas de obras de educação para a cidade. Segundo o gestor, o pedido foi feito em um restaurante de Brasília na presença de outros políticos.

Essas denúncias motivaram um convite feito pelo Senado Federal para que o ministro Milton Ribeiro dê explicações sobre a crise desencadeada no MEC.

Leia mais:

Blumenau corre contra o tempo para emplacar federalização da Furb em 2022

Seis funcionários públicos são presos temporariamente em ação que apura fraudes no Sul de SC

Colunistas