nsc
hora_de_sc

Estilo de vida

Pesquisa aponta crescimento e consolidação do mercado de moda masculina no Brasil

Mudança de comportamento dos homens gera aumento nas vendas de roupas, cosméticos e perfumaria, aponta relatório do Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae

12/07/2021 - 13h59

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
Dados do mercado global mostram que o consumo masculino de moda cresce 14% ao ano (enquanto o feminino aumenta 8%).
Dados do mercado global mostram que o consumo masculino de moda cresce 14% ao ano (enquanto o feminino aumenta 8%).
(Foto: )

A importância de se vestir bem é algo cada vez mais presente entre os homens. Dados do mercado global mostram que o consumo masculino de moda cresce 14% ao ano (enquanto o feminino aumenta 8%). Além disso, 40% dos homens que fazem compras online buscam itens ligados à moda. Por isso, esse público vem ganhando cada vez mais atenção da indústria – e datas como o Dia dos Pais, comemorada no último domingo – esquentam ainda mais esse negócio. Observando as tendências mais recentes do segmento, o Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC elaborou um relatório de inteligência que aborda o panorama do mercado e levanta o perfil do consumidor.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Mais do que ter opções no momento de vestir, os homens passaram a ter outro tipo de comportamento, que influência diretamente no interesse deles sobre moda e proporciona liberdade para que usem aquilo que gostam, sem enfrentar possíveis preconceitos. A variedade de tipos e estilos de peças disponíveis nas lojas reflete essa situação: é possível encontrar calças de diferentes modelos e tecidos, camisas e camisetas estampadas, jaquetas, joias, acessórios, sapatos, tênis, botas, óculos, entre outros.

O primeiro relatório de inteligência sobre este tema foi produzido pelo SIS/Sebrae em 2014 e, desde então, novos dados e informações sobre o mercado foram mapeados, demonstrando que há um interesse crescente do público masculino pelo setor de moda.

Expansão do mercado

De acordo com informações da Euromonitor International, o mercado de beleza (tanto masculino quanto feminino) movimentou cerca de R$ 20 bilhões, no Brasil, em 2017. Em 2016, o setor, considerando os nichos de moda, cosméticos e produtos de higiene pessoal e perfumaria, teve um crescimento de 14%. Para o Sebrae, números tão positivos podem ser explicados, entre outros fatores, pela mudança de comportamento dos homens, que se interessam e investem mais em conteúdos e produtos sobre moda.

Quando comparado ao feminino, o mercado masculino apresenta números ainda mais positivos. De acordo com o levantamento Google Fashion Trends, publicado em 2016, que considera as consultas feitas no Google, os homens ganham das mulheres quando o assunto é consumo de moda na internet: 40% deles fazem compras na internet, enquanto para elas o número é de 36%. Outro exemplo é que a visualização dos canais de moda e beleza masculina aumentou 13 vezes em 2016.

> WhatsApp fora do ar? Veja o que fazer

Quem é o consumidor de moda masculina?

O público masculino possui alguns comportamentos específicos. Para esses consumidores, a praticidade e a simplicidade devem ser características-chave dos produtos que buscam. É possível traçar um perfil mais aprofundado deste público, baseado em suas preferências de compra. Os dados que baseiam a pesquisa foram coletados pela Euromonitor International, por meio de pesquisa online com homens entre 15 e 65 anos de idade, e contemplam consumidores de diferentes locais do mundo, incluindo o Brasil.

Produtos premium e requintados ainda não fazem a cabeça dos homens: quase 90% não procuram por essa característica, enquanto 75% não fazem questão de comprar marcas renomadas. No entanto, o conforto é valorizado por mais de 63% dos entrevistados.

O público masculino também está disposto a pagar mais caro por um produto. Para quase 60%, o preço baixo não é prioridade no momento de decidir o que levar. A maioria (cerca de 66%) prioriza a alta qualidade do produto na hora da compra. Porém, esse número já foi maior e teve uma queda significativa: em 2016, ele era de 76%.

O público masculino também está disposto a pagar mais caro por um produto.
O público masculino também está disposto a pagar mais caro por um produto.
(Foto: )

> Efeitos colaterais da Janssen; veja as reações mais relatadas

Tendências e potencial de mercado

Se, em 2014 o e-commerce para negócios ligados à moda masculina era tido como uma tendência, hoje o seu sucesso já é concretizado. Segundo pesquisa da iProspect, realizada em 2017, 67% dos homens fazem, no mínimo uma compra online todo mês.

Uma das principais características do público masculino quando vai adquirir algum produto é a busca focada em uma peça específica, ou seja, o volume de opções não é, necessariamente, um atrativo. Além disso, uma jornada de compra rápida, prática e simples também é fundamental para esse consumidor, conforme havia sido diagnosticado em 2014.

> Pádel: conheça o esporte e entenda as regras

Lojas de varejo especializadas em um único nicho de produtos também fazem sucesso entre o público masculino, que vê seu processo de compra facilitado. Alguns exemplos disso são empresas que trabalham exclusivamente com sapatos masculinos, somente com roupas sociais ou focada em algum perfil específico (esportista, executivo, streetwear).

Gloria Kalil: “elegância não é se vestir bem, é ter educação”

Leia também

10 animais curiosos e estranhos do fundo do mar

Conta de luz aumentou? Veja como economizar energia elétrica

Serra Catarinense: conheça 5 cidades para visitar no inverno

Golpe do PIX agendado é verdade? Entenda

Baba Vanga: veja todas as previsões da vidente que previu a pandemia de Covid-19

Colunistas