nsc
dc

Coronavírus

Prefeito de Chapecó admite que sistema de saúde está próximo do colapso

Fala de João Rodrigues (PSD) foi feita durante uma coletiva nesta sexta-feira (12) para o anúncio de medidas restritivas

12/02/2021 - 11h28

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), falou sobre a situação no município
O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), falou sobre a situação no município
(Foto: )

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), admitiu que a situação do sistema de saúde no município está próxima do colapso. A região Oeste de Santa Catarina vive um momento de ocupação acima dos 90% nas UTIs, o que resultou na transferência de pacientes para outros locais. Rodrigues, no entanto, descarta um lockdown na cidade.

— Não dá para negar. É bem possível que sim, estamos próximos [do colapso]. Estamos nos organizando para que isso não aconteça [...] A situação é crítica e o quadro requer cuidados. Ninguém está imune porque você pode ter pegado e nem sabe que pegou — afirmou. 

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A fala de Rodrigues aconteceu em uma coletiva nesta sexta-feira (12) em que foram anunciadas novas medidas de combate ao coronavírus. As ações alteram o horário de funcionamento de estabelecimentos e proíbem, por exemplo, o consumo de bebidas alcoólicas em praças e vias públicas.

Entre as medidas anunciadas estão o fechamento de parques e praças às 20h. Os espaços serão reabertos às 7h da manhã. As academias só poderão atender com 50% da capacidade e os mercados deverão aceitar apenas dois membros de cada família. As determinações fazem parte de um decreto publicado nesta sexta pela prefeitura.

> Pandemia em Chapecó: a aposta alta do prefeito João Rodrigues

A fiscalização será feita pela Guarda Municipal da cidade, que aplicará multa em quem descumprir as medidas adotadas. Segundo Rodrigues, os agentes usarão o CPF e o número da identidade para aplicar a punição.

Investimentos em testes

Também foram anunciados investimentos para conter a doença. A prefeitura comprou 20 mil testes rápidos para testar a população. O objetivo é ampliar o número de pacientes nos próximos dias, atendendo todos que estiverem com sintomas da covid-19. A administração afirmou ainda que destinou R$ 1 milhão para o Hospital Regional do Oeste. O valor servirá para subsidiar a compra de medicamentos pela unidade.

> Colapso no Oeste: lotação em leitos de Covid-19 nos hospitais gera alerta para outras regiões de SC

O chamamento de médicos intensivistas de todo o país também foi comunicado. Segundo Rodrigues, até o momento oito profissionais foram selecionados e quatro serão alocados no Hospital Regional. O Hospital da Unimed também deve receber o reforço nas equipes de saúde.

Leia mais:

Vacina: 6 de 17 regiões de SC aplicaram menos da metade das doses recebidas

MP vai à Justiça para proibir Carnaval com trio elétrico em Balneário Camboriú

Prefeitos fazem fila por dinheiro em Brasília

Colunistas