nsc
dc

Coronavírus

Em meio a colapso, Chapecó descarta lockdown

Prefeito João Rodrigues diz que medidas serão adotadas, mas não com paralisação de serviços

12/02/2021 - 08h09

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Cidade do Oeste vive momento delicado em relação ao coronavírus
Cidade do Oeste vive momento delicado em relação ao coronavírus
(Foto: )

Em meio à lotação das UTIs, o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD) descarta um lockdown na cidade. Em entrevista à NSC TV nesta sexta-feira (12), Rodrigues afirmou que serão lançadas novas medidas de restrição com uma maior punição, mas que os serviços não serão paralisados. 

— No ano passado promoveram um lockdown em Chapecó. Para que era aquilo? Para estruturar o sistema. Anunciou-se 70 leitos de UTI e, na verdade, só tinha 35. Não adianta chorar o leite derramado. [...] Eu tenho afirmado e reafirmo, o que Chapecó descarta de momento e em qualquer hipótese é promover um novo lockdown — comentou o prefeito. 

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A região Oeste enfrenta uma situação delicada em relação à pandemia do novo coronavírus. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), Chapecó já registrou 17.428 infectados e 145 óbitos em razão da doença. 

Na última semana, a rede hospitalar do Oeste entrou em colapso após a ocupação de leitos de UTI em alguns municípios chegar a 100%. Na segunda-feira (8), oito cidades não tinham mais capacidade para atender pacientes graves. A situação motivou transferências dos doentes para outros hospitais de outras áreas do estado. 

Chapecó recebeu do governo do Estado dez novos respiradores, resultando na abertura de cinco novos leitos de UTI abertos com profissionais do Hospital Regional do Oeste. Na entrevista o prefeito afirmou que a administração foi atrás de médicos intensivistas, técnicos e enfermeiros para conseguir atender a demanda da rede hospitalar sem que haja novas transferências.  

> Covid-19: os planos das maiores cidades de SC para a vacinação

— Mão de obra já tem para abrir os novos leitos. Eu quero conversar com o secretário André Motta de novo hoje e também aqui com o pessoal do hospital para ver se tem capacidade de abrir mais dez, 15 [leitos]. O que nós não podemos permitir mais é que pessoas sejam transferidas de Chapecó. Isso é uma judiaria — disse Rodrigues. 

Uma reunião acontece nesta sexta-feira às 10h com o prefeito e autoridades sanitárias do município. A expectativa é que sejam anunciadas novas medidas de restrição e de combate ao vírus em Chapecó. Uma das ações já anunciadas por Rodrigues é uma maior punição aos estabelecimentos comerciais que descumprirem medidas sanitárias. Os locais poderão ser fechados e ter seus alvarás cassados.

Leia mais:

Sem vagas na UTI adulto, Chapecó recebe 10 novos respiradores do Estado

Com UTIs lotadas, Chapecó anuncia novas restrições para bares e eventos

Variante do coronavírus em SC: profissionais de saúde envolvidos com paciente serão testados em Joinville

Colunistas