nsc
dc

Palácio da Alvorada

Randolfe pede que TCU investigue gastos de churrasco de Bolsonaro no Dia das Mães

De acordo com colunista da Folha de S.Paulo, a festividade contou com a picanha Mito, que sai por R$ 1.799,99 o quilo

11/05/2021 - 17h37

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro recebeu um grupo de amigos no Alvorada no último domingo
(Foto: )

O senador e vice-presidente da CPI da Covid Randolfe Rodrigues (Rede-AP) fez uma representação junto ao TCU (Tribunal de Contas da União) pedindo que sejam investigados os gastos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o churrasco realizado no Palácio da Alvorada no Dia das Mães.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O presidente recebeu um grupo de amigos no Alvorada no último domingo (9). Imagens do evento foram divulgadas nas redes sociais da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e de outros participantes.

Em uma das fotos, parte do grupo - entre eles Michelle e a filha do casal presidencial, Laura- aparece na área da churrasqueira do Alvorada. Na imagem, os presentes não mantêm distanciamento nem usam máscara de proteção facial.

De acordo com o blog Cozinha Bruta, do jornalista Marcos Nogueira e hospedado no site da Folha de S.Paulo, a festividade contou com a picanha Mito, de gado da raça wagyu, que sai por R$ 1.799,99 o quilo. Uma peça tem em média 350 g e custa cerca de R$ 600.

"A população brasileira não merece esse escárnio por parte do presidente da República com aqueles que passam fome. Precisamos seguir o primado republicado e a empatia democrática", afirma o senador Randolfe Rodrigues.

Na representação encaminhada ao TCU, o parlamentar cita a possibilidade de má-utilização do dinheiro público, o que configuraria patrimonialismo por parte daqueles que deveriam prezar pelo interesse comum.

> Presidente da Anvisa diz ser contra uso da cloroquina e confirma tentativa de mudar a bula do remédio

"Se pagasse com seu dinheiro pessoal, inexistiriam problemas do ponto de vista jurídico, embora ainda fosse possível argumentar a existência de tênues linhas de afronta à moralidade abstrata: afinal, o presidente comer carne caríssima enquanto boa parte da população nacional passa fome demonstra uma terrível falta de sensibilidade e empatia", diz o ofício.

O senador pede o ressarcimento à União dos valores gastos com o churrasco e que o Bolsonaro seja condenado a pagar multa no valor de 500 cestas básicas, caso sejam identificadas irregularidades.

No Dia das Mães, antes de receber o grupo na residência oficial, o presidente realizou um passeio de motocicleta por Brasília. Ele mobilizou centenas de motoqueiros, o que provocou aglomeração de apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Ao final do passeio, Bolsonaro cumprimentou apoiadores ao lado da entrada da residência oficial, contrariando mais uma vez recomendações sanitárias para a contenção da Covid-19, que já matou mais de 420 mil brasileiros.

*Mônica Bergamo

Leia também

Morre sexta pessoa da mesma família por Covid-19 em SC

Cinco motivos para Bolsonaro se preocupar com a CPI da Covid

Rancho Queimado vira argumento de governistas na CPI da Pandemia; Mandetta ironiza

Colunistas