Um roubo ocorrido há três meses em Blumenau revelou à polícia uma verdadeira conspiração do crime com um sofisticado esquema que tinha o objetivo de hackear contas bancárias. O caso, noticiado à época como um sequestro, motivou perseguição policial na BR-470, teve viatura da PM acidentada e terminou com um suspeito morto após troca de tiros às margens da rodovia.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp

A investigação foi comandada pelo delegado Rodrigo Raitez, de Blumenau, e expôs que o objetivo dos criminosos não seria sequestrar as mulheres — entre elas uma grávida — e sim roubar os notebooks que estavam com elas. Esses equipamentos eletrônicos pertenciam ao banco em que elas trabalhavam e a quadrilha tinha o objetivo de acessá-los para obter informações privilegiadas de contas e senhas para fazer transferências.

Conforme a Polícia Civil, neste caso de Blumenau os criminosos conseguiram causar um prejuízo de R$ 2,6 milhões.

Ao todo, quatro pessoas foram detidas na manhã desta quinta-feira (8) no Vale do Itajaí. Um deles é o gerente do banco da agência em que as mulheres trabalhavam, que foi localizado em Porto Belo. Segundo Raitez, ele seria o responsável por passar informações ao grupo criminoso, como logins e acesso a sistemas operacionais, além de especificar qual seria a rotina pessoas das vítimas — inclusive no dia do crime. O gerente tinha a promessa de receber uma recompensa de R$ 500 mil pela “colaboração”, apontou ainda a investigação comandada pela Polícia Civil de Blumenau.

Continua depois da publicidade

Leia também: Barco com 150 milhões de euros em cocaína remete a casos de Santa Catarina

E mais: Vídeo mostra perseguição a sequestrador que acabou morto em Blumenau; assista

Outro detido foi um adolescente, que foi localizado em Itajaí e encaminhado ao Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep). Em Santo Ângelo (RS), um líder de uma facção criminosa gaúcha também foi preso. Ele seria, de acordo com os agentes, o responsável por arquitetar e operacionalizar o crime. Por fim, em Blumenau, um empresário e ex-jogador de futebol com passagens pelo Paulista de Jundiaí-SP também foi levado à cadeia por ser, conforme Raitez, o intermediador do contato entre o gerente do banco e o cabeça do crime.

Relembre o caso

Em 20 de setembro deste ano, três homens, um deles armado, abordaram duas mulheres no pátio de uma empresa às margens da BR-470 em Indaial. Eles estavam as perseguindo desde a Avenida Beira-Rio em Blumenau, ameaçaram as vítimas, as obrigaram a entrar no carro em que estavam e as mantiveram como reféns. 

Após denúncia, a Polícia Militar conseguiu localizar o veículo, perseguiu os criminosos e conseguiu liberar as mulheres e entrou em confronto com os assaltantes. Um dos criminosos morreu no local

Destaques do NSC Total