nsc
dc

Imunização

Saiba como o Brasil pode ter toda a população vacinada contra Covid em 2021

Estratégia do governo brasileiro é baseada no recebimento de doses do Covax Facillity e na compra de imunizantes diretamente dos laboratórios

16/02/2021 - 10h38 - Atualizada em: 16/02/2021 - 11h23

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Brasil precisa de cerca de 425 mil doses para vacinar toda a população
Brasil precisa de cerca de 425 mil doses para vacinar toda a população
(Foto: )

Após um início lento da vacinação contra a Covid no Brasil, o Ministério da Saúde organiza um calendário de recebimento de doses do imunizante para garantir que toda a população brasileira seja vacinada até o final de 2021. As remessas de vacinas são adquiridas diretamente dos laboratórios produtores ou pelo consórcio Covax Facility, uma espécie de centro de distribuição internacional de vacinas.

> Tire as dúvidas que ainda restam sobre a vacina da Covid-19

> SC passa de 150 mil vacinas contra o coronavírus aplicadas

No início do mês de fevereiro, o Senado aprovou a adesão do Brasil ao consórcio Covax da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Anvisa, por sua vez, dispensou o registro ou a autorização do uso emergencial das vacinas que o Brasil receberá por meio do consórcio internacional. A estimativa é de até o final do ano 42,5 milhões de doses enviadas pelo Covax cheguem ao país.

A primeira remessa enviada pela OMS será de um pouco mais de 10,6 milhões de doses:

• 2,65 milhões da AstraZeneca em março • 7,95 milhões da AstraZeneca até junho

Até o final do ano, o Brasil receberá mais aproximadamente 32 milhões de doses produzidas por laboratórios de escolha do governo, conforme cronogramas estabelecidos exclusivamente pelo Covax Facility

> Se mantiver o atual ritmo, SC vai concluir vacinação contra o coronavírus em novembro de 2023

> Anvisa libera importação ilimitada de doses da vacina de Oxford contra a Covid-19

As vacinas adquiridas pelo Brasil diretamente dos laboratórios produtores nacionais e internacionais também devem chegar durante todo o ano. Até o final de 2021, espera-se receber do Instituto Butantan, de São Paulo, 100 milhões de doses da vacina CoronaVac:

• 8,7 milhões de doses em janeiro (já entregues) • 9,3 milhões em fevereiro • 18,1 milhões em março • 15,93 milhões em abril • 6,03 milhões em maio • 6,03 milhões em junho • 13,55 milhões em julho • 13,55 milhões em agosto • 8,8 milhões em setembro

O calendário estima o recebimento de 222,4 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz):

• 2 milhões de doses em janeiro (já entregues) • 4 milhões em fevereiro • 20,7 milhões em março • 27,3 milhões em abril • 28,6 milhões em maio • 1,2 milhão em junho • A Fiocruz deverá produzir e entregar mais 110 milhões de doses no segundo semestre

> Vacinação: a nossa vez vai chegar

> Alda Niemeyer, sobrevivente da 2ª Guerra Mundial, é vacinada contra Covid-19 em Blumenau

O calendário ainda prevê o recebimento de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V do Instituto Gamaleya, importadas da Rússia, pela farmacêutica União Química, que ainda não possui registro ou autorização emergencial para uso no Brasil. De acordo com a Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (Seas), a previsão é de que o contrato seja assinado esta semana e a entrega seja realizada dessa forma:

• 800 mil doses 15 dias após a assinatura • 2 milhões após 45 dias da assinatura (abril) • 7,6 milhões após 60 dias de assinatura (maio)

A previsão é de que a União Química comece a produzir mais 8 milhões de doses por mês até o final de 2021.

> Primeira vacina brasileira contra Covid-19 é desenvolvida pela UFMG

A vacina Covaxin, que também está sendo analisada pelo governo brasileiro e não possui autorização para uso no país, deve entregar 20 milhões de doses importadas da Índia. A expectativa é de que o contrato também seja assinado nesta semana e o imunizante chegue ao Brasil seguindo a ordem:

• 4 milhões 20 dias após a assinatura do contrato (março) • 4 milhões 30 dias após a assinatura do contrato (março) • 4 milhões 45 dias após a assinatura do contrato (abril) • 4 milhões 60 dias após a assinatura do contrato (abril) • 4 milhões 70 dias após a assinatura do contrato (maio)

*Com informações de Agência Brasil e supervisão de Raquel Vieira

Leia também:

Florianópolis tem hospitais com UTIs lotadas e maior número de casos ativos de Covid-19 em SC

Volta às aulas em SC: Estado libera 100% da capacidade das salas

“Quero deixar meu legado”, diz gêmea que fez mudança de sexo

Colunistas