nsc
dc

Jogos Olímpicos

Santa Catarina volta a ter medalhista olímpico após 13 anos com a prata de Pedro Barros

Manezinho é o sexto catarinense a subir num pódio das Olimpíadas na história

05/08/2021 - 06h01 - Atualizada em: 05/08/2021 - 11h19

Compartilhe

Guto
Por Guto Marchiori
Pedro Barros é o segundo manezinho a conquistar medalha olímpica
Pedro Barros é o segundo manezinho a conquistar medalha olímpica
(Foto: )

A medalha de prata conquistada por Pedro Barros no skate park na madrugada desta quinta-feira, nas Olimpíadas de Tóquio 2020, recolocou Santa Catarina no pódio após 13 anos. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Antes do manezinho de Florianópolis, a última medalha catarinense tinha sido alcançada por Andréia dos Santos, conhecida no futebol como Maycon. Natural de Lages, ela tem duas pratas em Athenas 2004 e Pequim 2008.

Além do fim do jejum, Pedro Barros ainda se tornou o sexto catarinense a ter uma medalha olímpica. O skatista é, também, o segundo manezinho a subir no pódio. Antes dele, apenas Fernando Scherer, o Xuxa.

O ex-nadador ficou com o bronze na prova dos 50m nado livre em Atlanta 1996. Quadro anos depois, em Sidney 2000, ele repetiu o terceiro lugar, porém, a conquista foi coletiva junto à equipe do revezamento 4x100m livre.

Além de Pedro Barros, Maycon e Xuxa, outros três catarinenses têm medalhas em Jogos Olímpicos: Tonho Gil, Valdo e Ana Moser são os demais ex-atletas nascidos em Santa Catarina e que já conquistaram medalhas olímpicas.

Tonho Gil, natural de Criciúma, e Valdo, nascido em Siderópolis, fizeram parte das "gerações de prata" do futebol masculino em Los Angeles 1984) e Seoul 1988, respectivamente. No vôlei feminino, a blumenauense Ana Moser foi bronze em Atlanta 1996.

> Confira o quadro de medalhas dos Jogos de Tóquio

Leia também:

> Como acompanhar as Olimpíadas na NSC

> Veja os catarinenses que já conquistaram medalhas olímpicas

> Relembre as aberturas mais marcantes das Olimpíadas

Colunistas