A sobrinha do médico Leandro Medice, de 41 anos, usou as redes sociais para publicar uma carta aberta ao tio, que também é seu padrinho. No texto, Amanda Medice, de 22 anos, destacou os planos que tinha com o familiar e declarou o amor que tem por ele.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Medice foi encontrado morto na última segunda-feira (13) em um abrigo em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. O cardiologista viajou no domingo (12) e relatou, em vídeo, que esta seria sua primeira missão humanitária.

Família confirma morte de bebê que caiu de barco durante enchente no RS

De acordo com informações do g1, a suspeita é de que Medice tenha sofrido um mal súbito.

Continua depois da publicidade

“De uma hora pra outra, tudo termina num infarto no meio da tragédia que você foi ajudar no Rio Grande do Sul”, escreveu a sobrinha na publicação do Instagram.

Leia a carta da sobrinha

Carta aberta para o meu dindo: 🖤🥀

Morrer é ridículo.
Você combinou o que iríamos almoçar na semana seguinte, está com planos de reformar sua casa, está preocupado com contas, com várias ideias para o instituto… e do nada, pela manhã, morre. Como assim??? E os e-mails que você não leu? sua toalha molhada no varal? suas roupas para lavar? o instituto para limpar? os pacientes? a nossa família? Você passou mais de 10 anos estudando, se profissionalizando… fez fisioterapia, medicina, se especializou em cardiologia, intensivista, transplante capilar… De uma hora pra outra, tudo termina num infarto no meio da tragédia que você foi ajudar no Rio Grande do Sul.
Morrer é uma loucura. Te obrigada a sair da festa na melhor hora, sem se despedir de ninguém, sem ter um último abraço ou um último “te amo”. Dindo, meu amor, éramos tão iguais e nunca me imaginei escrevendo isso para você… para sempre serei sua filha, sua cópia!
Eu te amo além da vida,
com amor,
sua filha do coração,
Amanda.

Relembre o caso

Ao g1, o esposo do médico, o acupunturista João Paulo Martins, contou que Medice trabalhou a semana inteira com cirurgias na empresa de estética capilar e organizou a viagem ao Rio Grande do Sul com um grupo de amigos, também médicos, em um jato particular.

No mesmo dia, contou que trabalhou o dia todo aferindo pressão e fazendo atendimentos básicos para vítimas das enchentes da região. Na noite de domingo, em conversa por telefone, ainda falou ao marido que foi recebido com muito carinho no abrigo e que iria dormir para trabalhar na manhã de segunda-feira (13).

Continua depois da publicidade

— Leandro roncava um pouco e, por isso, preferiu dormir mais afastado dos amigos. Me contou que era tudo muito organizado, que conseguiram um colchão muito limpo e que já estava com saudade de mim. Estávamos juntos há seis anos e disse que não lembrava qual tinha sido a última vez que tinha viajado sozinho — contou João Paulo.

O companheiro compartilhou que, ao amanhecer, o cardiologista não compareceu ao ponto de encontro no horário que haviam combinado. As amigas médicas foram ver o que havia acontecido e já o encontraram sem vida.

Ainda de acordo com informações do g1, a morte do profissional foi confirmada cerca de 24 horas após ele ter viajado. Nas redes sociais, a mãe do profissional compartilhou uma publicação na qual disse que Medice teve um infarto fulminante.

Leandro Medice era fisioterapeuta. Ele se formou em Medicina e fez uma especialização em Cardiologia, e trabalhava como médico intensivista. Medice também trabalhou no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Recentemente, se dedicava à estética capilar, em uma empresa com o marido.

Continua depois da publicidade

Leia também

Entenda causas de uma das piores tragédias climáticas do RS que deixa mortos e desalojados

Entenda por que chuva do RS não chegou com intensidade a SC

Como doar mantimentos e produtos ao RS

Destaques do NSC Total