nsc
    dc

    Prisão

    Tio suspeito de engravidar menina de 10 anos no Espírito Santo é preso em Minas Gerais

    Homem de 33 anos será transferido para O Complexo Penitenciário de Xuri, em Vila Velha

    18/08/2020 - 07h42 - Atualizada em: 18/08/2020 - 07h48

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    Protestos foram registrados para impedir da criança estuprada
    Protestos foram registrados para impedir da criança estuprada
    (Foto: )

    O tio suspeito de estuprar e engravidar a sobrinha de 10 anos em São Mateus, no Espírito Santo, foi preso em Mina Gerais. A prisão foi feita na madrugada desta terça-feira, em Minas Gerais, na cidade de Betim. 

    O suspeito de estupro será levado ao Espírito Santo. O tio tem 33 anos e será encaminhado ao Complexo Penitenciário de Xuri, em Vila Velha, na Grande Vitória. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável e ameaça e estava foragido desde a última semana.

    > Reações ao aborto de criança estuprada revelam Brasil desumano e fundamentalista

    De acordo com informações do portal G1, o homem também já tinha passagem criminal por tráfico de drogas e esteve preso entre 2011 e 2018.

    Aborto autorizado pela Justiça

    No dia 7 de agosto, a menina de 10 anos foi até o hospital no Espírito Santo queixando-se de dores abdominais. No atendimento hospitalar, a criança relatou que começou a ser estuprada pelo próprio tio desde que tinha 6 anos e que não o denunciou porque era ameaçada.

    > Felipe Neto e Whindersson Nunes oferecem ajuda a menina de dez anos que engravidou após estupro

    A criança realizou o aborto e teve a gestação interrompida em Recife, no Pernambuco, na segunda-feira (17). Ela estava na unidade desde domingo, quando iniciou o processo. O procedimento foi concluído por volta das 11h e a menina passa bem.

    Menina teve nome exposto em publicação de militante da extrema-direita

    O novo endereço do procedimento deveria ter sido mantido em sigilo, mas foi divulgado nas redes sociais de conservadores.

    O nome da vítima e o endereço do hospital em que ela estava internada foram divulgados na internet pela militante de extrema direita Sara Giromini, conhecida como Sara Winter. Ela chegou a chamar de “aborteiro” o médico que faria o procedimento na vítima de estupro e divulgou também o Estado para o qual a garota foi levada para fazer a interrupção da gestação. A divulgação do nome da vítima fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

    > Justiça determina que Twitter e Facebook tirem do ar postagens sobre menina que engravidou após estupro

    Por causa da divulgação nas redes sociais, a chegada da menina causou protestos pró e contra o aborto em frente ao hospital do Recife, em Pernambuco, na tarde deste domingo. Médicos do hospital foram chamados de "assassinos", e foi necessária intervenção da Polícia Militar para cessar o tumulto.

    Leia também:

    > Veja como denunciar casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas