nsc
    santa

    Litoral Norte

    "Vai dar tudo certo", diz pai de trigêmeos de Itajaí sobre criação dos filhos após morte da esposa

    José Cleber Xavier Cardoso revela como foram os momentos após o parto e conta com apoio da família para superar o luto

    28/01/2021 - 12h55 - Atualizada em: 28/01/2021 - 14h10

    Compartilhe

    Augusto
    Por Augusto Ittner
    Berço preparado para receber os trigêmeos.
    Berço preparado para receber os trigêmeos.
    (Foto: )

    Pai dos trigêmeos que nasceram nesta semana em Itajaí, José Cleber Xavier Cardoso falou pela primeira vez nesta quinta-feira (28) sobre a dor da perda da esposa. Camila da Conceição, que deu à luz trigêmeos na terça (26), não resistiu após complicações e morreu nesta manhã, um dia depois de ser internada na UTI do Hospital Marieta Konder Bornhausen.

    > Morre Camila da Conceição, mãe que deu à luz trigêmeos em Itajaí

    > Mãe dos trigêmeos precisou ser internada na UTI um dia após o parto

    José Cleber concedeu entrevista à repórter Patrícia Silveira, da NSC TV, e falou como foram os momentos após o parto. Ele diz que Camila estava se sentindo bem, chegou a se alimentar depois da cesárea, mas começou a passar mal poucas horas depois.

    — Ela dizia que estava se sentindo fraca, porque perdia muito sangue, e então os médicos a levaram para a UTI. Eu não pude ir junto, e daí em diante não consegui acompanhar mais nada — diz o pai, que também soube da morte de Camila na manhã desta quinta-feira.

    > Ficamos em choque, diz mulher que teve trigêmeos idênticos em Blumenau

    Os trigêmeos que nasceram nesta semana são o 5º, 6º e 7º filhos respectivamente de José Cleber. Ele e a companheira já tinham uma mais velha, de 13, outra filha de 11, e gêmeas de 3 anos de idade. Enquanto ainda lida com o sofrimento da perda de Camila, o pedreiro fala em superação para poder criar a família.

    Ele conta com ajuda de familiares e pede doações:

    — Condições para criar [os filhos] sozinho eu não vou ter, né? Mas tenho que seguir em frente. Minha mãe está aí, vai me ajudar. Agora é pensar positivo... Vai dar tudo certo.

    A família de Camila ainda não decidiu se faz o sepultamento em Itajaí, onde a família mora, ou no Sergipe, onde vive a mãe dela. Por conta disso, inclusive, ainda não há informações sobre velório e enterro.

    Doações de alimentos e roupas podem ser entregues na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Murta, na Rua Orlandina Amália Pires Corrêa, 300, em Itajaí.

    Relembre

    Os trigêmeos nasceram na última terça-feira (26) no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí. De tão saudáveis, eles nem precisaram ir para a UTI Neonatal da unidade de saúde. A mãe, porém, seguiu hospitalizada e no dia seguinte precisou ser internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva. Ela precisou passar por cirurgias e morreu dois dias após o parto. Em nota, o hospital se manifestou dizendo que “solidariza com a família enlutada” e que prestará todo apoio.

    Com informações de Patrícia Silveira, NSC TV

    Colunistas