nsc
    nsc

    Gastronomia

    Onde comer frutos do mar em Florianópolis

    Compartilhe

    Beto
    Por Beto Barreiros
    01/09/2020 - 07h00 - Atualizada em: 14/10/2020 - 14h06
    Pastel de camarão do Box 32, no Mercado Publico de Florianópolis, está entre os melhores do Brasil.
    Pastel de camarão do Box 32, no Mercado Publico de Florianópolis, está entre os melhores do Brasil. (Foto: Arquivo pessoal)

    Alguns programas são indispensáveis para os turistas que visitam Florianópolis. Para auxiliar quem visita a capital catarinense estou indicando algumas sugestões gastronômicas e passeios para uma estada inesquecível. Entre eles, está a degustação da siguarias da Ilha de Santa Catarina, por isso, é importante que você saiba onde comer frutos do mar em Florianópolis.

    Conhecer o Mercado Público, sempre cheio de nativos e turistas, comprando derivados do mar frescos, carnes nos seus açougues, temperos, sorvetes, calçados ou curtindo a ampla oferta de gastronomia típica e variada é o primeiro destino de todos os que viajam para nossa cidade. No Mercado Público está a alma da Florianópolis, onde acontece a verdadeira misturança e o equilíbrio da convivência humana, não importando se você é empresário, artista ou um operário. Todos são importantes e bem vindos.

    > Benzedeira de Florianópolis: tradição renovada pela internet

    Figueira na Praça XV.
    Figueira na Praça XV.
    (Foto: )

    Dar um passeio no centro histórico e conhecer o Palácio Rosado, a Catedral Metropolitana, os prédios antigos no entorno da praça XV de novembro, e jamais ir embora sem conhecer a imponente e centenária figueira localizada no meio da praça. Moças que desejam casar, precisam dar três voltas nela para serem felizes.

    > Coronavírus: o que é lockdown? Entenda a medida e para que ela serve

    A recém reformada Ponte Hercíllio Luz.
    A recém reformada Ponte Hercíllio Luz.
    (Foto: )

    Passar pela ponte Hercílio Luz, um dos cartões postais de Florianópolis, recém reformada e aberta para o público tem sido um dos destinos mais procurados pelos visitantes. Além da ponte, é possível observar o azul do mar, as montanhas e os barcos que decoram a paisagem deslumbrante.

    > Realização de eventos na Ponte Hercílio Luz dependerá de autorização prévia

    Se toda a Ilha de Florianópolis é um paraíso, você não imagina como é conhecer outro paraíso dentro dela: a Costa da Lagoa. O acesso é somente por barco ou por trilhas. Para chegar até a Costa da Lagoa, são duas as opções para ir de barco: a primeira, saindo do trapiche ao lado da ponte da Avenida das Rendeiras e a segunda pela reserva do Rio Vermelho. Para chegar caminhando pelas trilhas, também são duas as opções: uma parte do Canto dos Araças e a outra de Ratones. 

    Carapeva frita é um dos pratos indicados para quem vista a Costa da Lagoa.
    Carapeva frita é um dos pratos indicados para quem vista a Costa da Lagoa.
    (Foto: )

    Na Costa da Lagoa existem muitas opções de restaurantes, com destaque para o Restaurante do Cabral, para o Amor de Mãe e o Paraíso da Néia. Os turistas adoram comer a carapeva frita, um peixe típico do local, junto com bolinhos de peixe, siri, camarão e a sequência de camarão, composta de vários pequenos pratos.

    > 6 cachoeiras para visitar no Vale do Itajaí pagando pouco ou nada

    Igreja Nossa Senhora das Necessidades, em Satnto Antônio de Lisboa.
    Igreja Nossa Senhora das Necessidades, em Satnto Antônio de Lisboa.
    (Foto: )

    Conhecer Sambaqui, Santo Antônio de Lisboa e o Ribeirão da Ilha não podem ficar de fora do seu roteiro. Além das construções históricas conservadas há uma grande variedade de opções de bons restaurantes, cafés e artesanato. 

    > Santo Antônio de Lisboa: recanto marcado pela colonização açoriana

    Na ponta de Sambaqui, o Restaurante Pitangueiras que no seu cardápio se destacam o camarão na moranga, moquecas de garoupa, ostras e petisco, além de ótimos coquetéis. Em Santo Antônio de Lisboa, gosto de frequentar o Freguesia Oyster Bar, que serve uma sequência de ostras saborosas. Os restaurantes Villa do Porto e o Pargus, além de outros estabelecimentos, são ótimas opções.

    Casarios antigos do Ribeirão da Ilha.
    Casarios antigos do Ribeirão da Ilha.
    (Foto: )

    Indo para o sul da chegamos ao Ribeirão da Ilha, onde as atrações são os cultivos de ostras e as casas e prédios antigos bem conservados. Lá os restaurantes que mais se destacam, são o Porto do Contrato, o Ostradamus, Umas e Ostras e o Empório do Mar que junto com outros também bons, servem o principal produto da região, as ostras vivas, aquecidas e gratinadas.

    > Conheça mais sobre o aconchego do Ribeirão da Ilha

    No Pântano do Sul, a colônia de pescadores mantém as tradições com as suas canoas, baleeiras grandes barcos partindo diariamente em busca dos frutos do mar que chegam nas mesas de todos. Os restaurantes típicos do local são o que chamamos de pé na areia, com vista para o constante movimento de barcos, moradores do local e banhistas.

    Foto do ´bacalhau´ do Mandala com pirão, salada e feijão.
    Foto do ´bacalhau´ do Mandala com pirão, salada e feijão.
    (Foto: )

    Na chegada, do lado esquerdo, está o restaurante Mandala, que oferece comida típica, com destaque para o bacalhau brasileiro, as anchovas, as tainhas a lula recheada e ensopada e o feijão bem temperado que acompanha quase todos os pratos.

    Encontrada durante todo o ano nas peixarias do Mercado Público de Florianópolis, a Abrotéa, é uma espécie de bacalhau, que é parente distante do famoso bacalhau Gadus Morhua dos mares do norte. Na praia do Pântano do Sul, os proprietários do Mandala, salgam o peixe aberto - como são feitos todos os peixes escalados - e colocam no sol para secar. Após, desfiam e refogam com azeite de oliva, acrescentam azeitona, e finalizam com salsinha e cebolinha verde. Fica delicioso e o sabor lembra bastante o sabor do bacalhau tradicional. 

    Do lado direito, está o tradicional restaurante do Arantes, que foi pescador durante toda a sua vida e um grande contador de histórias e casos. Seus filhos herdaram o restaurante onde servem peixes assados, ensopados e fritos. Camarões, caldos e aperitivos, são algumas das opções. Uma atração do restaurante Arantes, são os milhares de bilhetinhos pendurados no teto, que os turistas deixam como recordação.

    Os bilhetes no restaurante Arantes.
    Os bilhetes no restaurante Arantes.
    (Foto: )

    > Três bons motivos para ir à praia do Pântano do Sul, em Florianópolis

    Localizada na charmosa Praia das Palmeiras em Florianópolis, a Toca do Parú é um lugar simples, mas que faz do seu criador e proprietário Carlinhos, um patrimônio cultural. Lá o Carlinhos prepara as tainhas escaladas que são colocadas em uma canoa para secar dentro de uma caixa com tela. Quando o cliente pede, ele puxa a canoa, retira a tainha que o cliente escolhe e leva para preparar.

    Tainhas escaladas.
    Tainhas escaladas.
    (Foto: )

    A tainha escalada seca no sol, assada e temperada fica simplesmente uma iguaria. No cardápio da Toca do Parú, não deixe de escolher como entrada a casquinha de siri no palito, uma inovação saborosa.

    Tainha escalada da Tocado Parú.
    Tainha escalada da Tocado Parú.
    (Foto: )

    O bar e restaurante Box 32, localizado no corredor do Mercado Público, é o ponto de encontro da cidade e o balcão mais democrático do Brasil. Suas paredes são repletas de fotos de personalidades que por lá passaram nos últimos 36 anos.

    O pastel de camarão do Box é considerado um dos melhores do Brasil e o mais pedido no local, juntamente com bolinhos de bacalhau, torpedo de camarão e a casquinha de siri. O pastel de berbigão (vôngole) é o segundo mais pedido.

    Nada mais gastronomicamente tradicional em Floranópolis que um peixe frito em posta com pirão feito com o caldo do peixe, não à toa é o mais pedido pelos turistas no Box 32. Os pratos com camarões são a segunda opção mais apreciada pelos turistas, com destaque para o camarão do chef. No variado cardápio se destacam a lagosta grelhada, os camarões casadinhos, o polvo do grego, os risotos e as moquecas. 

    Ostras do Box 32 são produzidas na Ilha do Papagaio.
    Ostras do Box 32 são produzidas na Ilha do Papagaio.
    (Foto: )

    Florianópolis é a capital nacional da ostra, produzindo mais de 90% do que é consumido no Brasil. Os conhecedores do sabor das ostras, preferem elas vivas, porque representam a pureza do mar e o equilíbrio ecológico. 

    As ostras do Box 32 são produzidas na Ilha do Papagaio, no sul de Florianópolis, onde passa a corrente de água mais pura do mundo que vem da Antártida. Além das ostras vivas, também são servidas no local ostras gratinadas com quatro queijos, ostras cozidas no vapor, ostras grelhadas com alho e óleo e ostras embriagas com cachaça, mel e limão.

     As vieiras são consideradas o mais requintado derivado do mar.
    As vieiras são consideradas o mais requintado derivado do mar.
    (Foto: )

    No Box 32, também são servidas as vieiras, também conhecidas como coquiles de Saint Jacques, cozidas suavemente no vapor e regadas com manteiga clarificada com ervas de provance. As vieiras, pela sua delicadeza e sabor único, são consideradas o mais requintado derivado do mar.

    Leia também:

    > Conheça os benefícios da vitamina D para a saúde muscular e dos ossos

    > Entenda a diferença entre neve, sincelo e chuva congelada

    > 10 alimentos para reforçar o sistema imunológico

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas