nsc
nsc

Política

Bolsonaro recuou; a pergunta é até quando

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
09/09/2021 - 18h06 - Atualizada em: 09/09/2021 - 19h29
Bolsonaro na Cúpula do Brics, nesta quinta-feira
Bolsonaro na Cúpula do Brics, nesta quinta-feira (Foto: Marcos Corrêa /PR)

O presidente Jair Bolsonaro acenou com a bandeira branca ao divulgar a carta em que faz um mea culpa e tenta se redimir pelas estocadas na democracia que desferiu no feriado de Sete de Setembro. O que acuou o presidente não foram as palavras mais ácidas nos discursos dos presidentes do STF, Luiz Fux, e do TSE, Luiz Roberto Barroso, mas a falta de controle sobre os caminhoneiros que trancam as estradas e a sirene ligada para um processo de impeachment.

> Aliado de Bolsonaro, João Rodrigues diz que fechar STF é "maluquice" e admite risco de impeachment

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Sinal de arrependimento? Não, movimento estratégico. Como um adolescente rebelde que testa insistentemente seus limites, o presidente esticou a corda mais um pouco para ver até onde iria desta vez. Fez disparar o dólar, provocou queda na Bolsa de Valores e incomodou setores da economia que o apoiam e viram suas cargas paradas nas rodovias. Recuar era a única cartada possível.

É simbólico que o nome escolhido para redigir a carta e organizar o hasteamento da bandeira de paz tenha sido o do ex-presidente Michel Temer, exímio estrategista e conhecido por não dar ponto sem nó. É provável que da conversa entre os dois tenham saído conselhos para que Bolsonaro conquiste uma mínima estabilidade até o fim do governo. Só que esse não é o perfil do presidente.

> Abastecimentos de postos em SC normalizam até sábado, diz Sindipetro

> Mercado reage com alta na Bolsa após Bolsonaro baixar o tom em nota com dedo de Temer

Mais dia, menos dia, Bolsonaro voltará a atacar as instituições. Talvez mude de alvo, talvez insista nas mesmas pautas. A artilharia retornará à ativa porque essa é a tônica do governo, seu modus operandi. Até lá, o mercado e os otimistas acreditarão que Bolsonaro amenizou o discurso e está disposto a apaziguar o país.

Leia também

Setor produtivo de SC pressiona pelo fim do bloqueio de cargas

Doria e Maia criticam Bolsonaro após nota à Nação: 'rato', 'frouxo e covarde'

Adnet imita Bolsonaro em áudio e gera dúvida em caminhoneiros

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas