nsc
nsc

Opinião

Decisão de Lages lembra que política inclui ações e consequências

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
07/03/2021 - 13h49 - Atualizada em: 07/03/2021 - 16h12
Centro de Triagem da Covid-19 em Lages
Centro de Triagem da Covid-19 em Lages (Foto: Luan Tucarti / Arquivo)

O anúncio de medidas mais restritivas pela prefeitura de Lages, na manhã deste domingo, contou com uma afirmação corajosa do prefeito Antônio Ceron (PSDB). Ao vivo, em pronunciamento transmitido pelas redes sociais, ele disse que “assume as consequências” do decreto que assinou para enfrentar o colapso na saúde. Lages, como outras cidades em SC, tem fila de espera por leitos de UTI.

> União terá que requisitar leitos privados em qualquer lugar do país para pacientes de SC

As restrições impostas, como a proibição do comércio não essencial e das aulas presenciais, são decisões impopulares e difíceis. Por isso a fala do prefeito, de que assume as consequências que podem vir – políticas, inclusive – é simbólica.

> Santa Catarina tem mais de 300 pessoas na fila de espera por um leito de UTI

A política em Santa Catarina passa por uma crise de liderança e responsabilidade. A pandemia virou o ‘elefante na sala’ no Governo do Estado e na maioria das prefeituras - algo com que os gestores preferem não lidar. Em um desafio de tamanhas proporções, o silêncio pode ser uma escolha tão confortável quanto negligente.

> Painel do Coronavírus: confira a evolução da pandemia em Santa Catarina

O colapso do sistema de saúde impõe tomada de decisões. Cada governante tem o próprio entendimento sobre a melhor maneira de enfrentar a crise, pesando os prós e contras econômicos, sociais e políticos. É fundamental que esses posicionamentos sejam esclarecidos aos catarinenses, por compromisso com a transparência.

> Santa Catarina registra 78 mortes por coronavírus neste sábado

> Seis em cada dez casos de Covid-19 em SC são de novas variantes

Se a avaliação for de que o momento exige medidas mais duras, elas precisam ser respaldadas em dados e na análise dos profissionais de saúde – como Lages fez. Se, pelo contrário, o prefeito ou o governador entendem que é possível conter a contaminação sem seguir a cartilha das restrições, as razões também precisam ser colocadas à mesa.

Não há receitas simples nem respostas fáceis para enfrentar o caos. Mas cabe aos gestores públicos assumir as consequências das decisões que tomam – e das que deixam de tomar.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia mais:

SC pede médicos e equipamentos para ativar leitos em hospital de campanha em Chapecó

Rave com 100 participantes é encerrada pela polícia em Indaial

Entrevista de André Motta à Globonews retrata uma SC que não existe

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas