nsc
nsc

Repique

Florianópolis tem balada lotada e fila na saúde em meio a surto de Covid-19; veja vídeo

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
07/01/2022 - 14h34 - Atualizada em: 07/01/2022 - 15h09
Show em Florianópolis no dia 7 de janeiro
Show em Florianópolis no dia 7 de janeiro (Foto: Reprodução)

Estivéssemos vivendo sob o bom e velho “normal”, as imagens das baladas lotadas no Litoral seriam apenas o retrato do que se espera um verão em Santa Catarina: diversão para os turistas e faturamento para o setor de eventos. Mas, em meio à explosão de casos de síndrome respiratória no Estado, com um novo surto de Covid-19 possivelmente impulsionado pela variante ômicron, as aglomerações nas casas noturnas são um contrassenso.

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Imagens de um clube em Florianópolis, nesta madrugada, mostram um show com muitos jovens e nenhum protocolo visível. O uso de máscara em ambiente fechado, que é obrigatório, foi desprezado. No vídeo, que circula no Instagram, apenas uma pessoa aparece com uma máscara branca no rosto, no canto da tela.

A Secretaria de Saúde da Capital recebeu várias denúncias e informou que vai notificar a casa, como fez recentemente com os responsáveis pelo show do cantor Gusttavo Lima, que ocorreu antes da virada de ano. Em entrevista ao Bom Dia SC, nesta semana, o secretário Carlos Alberto Justo da Silva disse que a produção do show sertanejo seria multada justamente por falta de controle do uso de máscaras.

Evandro Assis: Baladas de SC funcionam normalmente em meio à explosão da Covid-19

O fato é que protocolos como máscara ou distanciamento social não combinam com baladas. Essa é a principal dificuldade em manter o setor ativo no momento em que o Estado vive um novo repique de casos de Covid-19, e a Capital registra filas de espera nos pronto-atendimentos. 

SC enfrenta novo surto de Covid com alta procura por hospitais e aumento de 560% nos casos

A equação não é simples, já que as empresas da área estão entre as que mais sentiram os efeitos da pandemia e há pressão sobre o poder público para que possam manter as atividades. Mas as imagens das aglomerações deixam claro que o ambiente é de alto risco para contaminação, enquanto a rede de saúde não tem segurado a demanda.

O grande número de casos que Santa Catarina registrou neste início de janeiro – são mais de 11 mil casos ativos, um crescimento de 156,54% em apenas uma semana – exige um novo olhar sobre regras e protocolos. Os eventos estão liberados pelo Estado, que não dá sinais de que adotará restrições abrangentes. A ideia é que cada município defina os próprios limites e, se por um lado isso adapta as normas à realidade de cada cidade, por outro torna mais difícil impor medidas mais drásticas.

A coluna apurou que a tendência é que municípios da Grande Florianópolis adotem um novo protocolo conjunto, com ajustes, para tentar reduzir danos. As imagens que saem das baladas, no entanto, levantam dúvida se, neste momento, é possível e responsável mantê-las ativas.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia mais

Prefeitos avaliam negociar vacinas para crianças com a Pfizer

Caravelas-portuguesas invadem Litoral Norte de SC; espécie é mais perigosa que água-viva

Quanto custa alugar um apartamento de luxo em Balneário Camboriú no verão

Efeitos colaterais da terceira dose da Pfizer; veja reações mais relatadas

Por que o alargamento da praia em Balneário Camboriú atraiu tubarões

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas