nsc
nsc

Meio ambiente

Liminar proíbe prédios que causem sombra na Praia Brava em Itajaí

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
15/09/2021 - 08h24
Sombra dos edifícios na Praia Brava, em Itajaí
Sombra dos edifícios na Praia Brava, em Itajaí (Foto: Salve Brava, Reprodução Instagram)

A Justiça Federal concedeu uma liminar que proíbe a prefeitura de Itajaí de autorizar e conceder licenciamento ambiental a projetos de novos prédios que provoquem sombra na faixa de areia na Praia Brava. A decisão é do juiz Charles Giacomini, que atendeu a um pedido do Ministério Público Federal (MPF).

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A decisão proíbe obras que provoquem sombra antes das 17h, de acordo com o nível de insolação que a praia recebe no inverno. A liminar não inclui construções que já estão em andamento.

Lei dobra tamanho dos prédios na Praia Brava em Itajaí

Dois pontos foram levados em conta pelo magistrado: o impacto da sombra sobre a vegetação de restinga, que é área de preservação permanente, e a qualidade da praia para uso coletivo da população. O juiz considerou que, se não houver intervenção, o dano será permanente.

“Veja-se o emblemático caso da vizinha cidade de Balneário Camboriú. Qualquer pessoa da região sabe que a orla da praia teve o seu potencial de uso recreativo comprometido pelo sombreamento ao longo das últimas décadas. Esta consequência deverá ser suportada para sempre, por toda a sociedade, para o benefício de poucos. A irreversibilidade dos fatos é evidente. Uma vez construídos, os prédios não são demolidos. Não parece razoável permitir que a mesma situação ocorra em Itajaí”, escreveu o juiz na decisão.

Balneário Camboriú é a ‘praia que perdeu o sol’ em publicação internacional

Após fama de praia sem sol, Balneário Camboriú começa obras para alargar a faixa de areia

A ação foi movida pelo procurador da República Marcelo Godoy. Nela, ele alega que estão comprovados os impactos negativos do sombreamento sobre a biota local, as condições sanitárias, paisagísticas e a qualidade de vida da população.

A prefeitura de Itajaí alegou à Justiça que “não há comprovação científica” de que a sombra cause danos à restinga e que as leis brasileiras não proíbem construções em razão do sombreamento. O município pode recorrer da liminar.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia também

Teve reação à vacina da Covid-19? Saiba o que fazer

Entenda o conflito no Afeganistão com volta do Talibã ao poder em 10 perguntas e respostas​​​​

Variante Delta: veja a eficácia de cada uma das vacinas da Covid​​

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

Nevascas históricas em Santa Catarina; veja fotos e quando aconteceram

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas