nsc
nsc

Portos

Operação padrão de fiscais começa a impactar importações nos portos de SC

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
11/01/2022 - 07h47
Porto de Itajaí, em Santa Catarina
Porto de Itajaí, em Santa Catarina (Foto: Luiz Carlos Souza, Arquivo)

A operação-padrão dos auditores fiscais da Receita Federal, intensificada a partir do final de dezembro, começa a impactar a liberação de cargas de importação nos portos de Santa Catarina neste início de 2022. No Complexo Portuário do Itajaí-Açu, que responde pela maior movimentação de contêineres no Estado, o processo, que geralmente não leva mais do que quatro ou cinco dias, teve o prazo estendido para oito dias. As informações são da própria Receita Federal.

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

A situação se repete em outros portos no país. A Associação Brasileira de Terminais Retroportuários e Transportadores de Contêineres (ABTTC) confirmou que, também em outros portos brasileiros, as importações são as mais afetadas – não apenas pela operação dos servidores da Receita Federal, mas também dos servidores do Ministério da Agricultura (Mapa). 

Ainda não há uma estimativa geral sobre o impacto financeiro da movimentação. Mas, somente no Porto de Santos, o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Sindifisco) calculou uma perda de R$ 125 milhões em impostos, por dia.

Jornalista do site The Intercept Brasil sofre ameaça em Balneário Camboriú

A mobilização dos servidores é uma resposta ao aumento concedido pelo governo Bolsonaro à Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Penal Nacional (Depen) – categorias mais alinhadas à base de apoio ao presidente da República. O orçamento reservado para esses reajustes é de R$ 1,7 bilhão, o mesmo valor que foi retirado do orçamento da Receita Federal para o ano que vem. O corte pode comprometer atividades de fiscalização no país.

Opinião: O jornalismo falhou no caso que levou à morte trágica do reitor Cancellier

Além da redução de orçamento, os auditores fiscais também protestam contra a demora do governo em regulamentar o bônus por eficiência, que vem sendo discutido desde 2016. O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou a concessão ainda no ano passado, mas ela ainda depende de uma movimentação do governo que não ocorreu.

Cerca de mil auditores em chefias da Receita entregaram o cargo em protesto nas últimas semanas, inclusive em Santa Catarina. As demissões dependem de publicação em Diário Oficial pelo governo.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia mais

Caravelas-portuguesas invadem Litoral Norte de SC; espécie é mais perigosa que água-viva

Quanto custa alugar um apartamento de luxo em Balneário Camboriú no verão

Efeitos colaterais da terceira dose da Pfizer; veja reações mais relatadas

Por que o alargamento da praia em Balneário Camboriú atraiu tubarões

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas