nsc
nsc

Opinião

Um ano para testar a democracia

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
12/01/2022 - 06h01
Bandeira do Brasil
Bandeira do Brasil (Foto: Diorgenes Pandini, Arquivo NSC)

O pontapé inicial de 2022 é desafiador do ponto de vista sanitário, com boa parte do mundo enfrentando as consequências da circulação de novas variantes da Covid-19 e os impactos econômicos e sociais que vêm a reboque. No Brasil, além do pacote trazido pela pandemia e da crise econômica persistente, entraremos em um ano eleitoral especialmente difícil.

Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Há ânimos acirrados, discursos afiados, e elas – as redes sociais. O ministro Alexandre de Moraes, que assumirá o comando do TSE, tem falado em tolerância zero para os espalhadores de fake news no período eleitoral. Mas até as pedras da rua já sabem que a desinformação será usada como arma em 2022, e ela pode provocar graves danos à estabilidade democrática.

Jornalista do site The Intercept Brasil sofre ameaça em Balneário Camboriú

O jornalismo profissional e as agências de checagem serão instrumentos fundamentais de contenção. Ocorre que, para a imprensa, o ano que se apresenta também traz um prenúncio de dificuldades. Em 2021, o Brasil entrou pela primeira vez na chamada “zona vermelha” de risco à liberdade de imprensa – um indicador preocupante.

Os ataques virtuais e agressões físicas são cada vez mais frequentes e perigosos. A truculência, o desrespeito e a divulgação de fake news como tentativa de atacar e desacreditar jornalistas é uma prática difundida muito além das fronteiras de Brasília, e em diversos níveis de poder. Até agora, o assunto ainda não mereceu a atenção devida das instituições, com exceção de algumas ações pontuais e notas de repúdio.

Opinião: O jornalismo falhou no caso que levou à morte trágica do reitor Cancellier

Não há democracia sem imprensa livre, e não há jornalismo onde os jornalistas não podem chegar porque estão sob risco. Este será um debate fundamental no ano que começa.

Está claro que 2022 é o ano em que nossa democracia será testada. É quando os pesos e contrapesos que sustentam a estabilidade democrática, e que agiram com mais ou menos efetividade ao longo dos últimos anos, precisarão funcionar.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia mais

Caravelas-portuguesas invadem Litoral Norte de SC; espécie é mais perigosa que água-viva

Quanto custa alugar um apartamento de luxo em Balneário Camboriú no verão

Efeitos colaterais da terceira dose da Pfizer; veja reações mais relatadas

Por que o alargamento da praia em Balneário Camboriú atraiu tubarões

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas