Atento às dificuldades enfrentadas pelas micro e pequenas empresas (MPEs) brasileiras, o presidente do Sebrae Nacional, o catarinense Décio Lima, aproveitou a proximidade com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministros da área econômica durante a COP28, em Dubai, para sugerir um Desenrola às MPEs.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

No evento, o presidente do Sebrae teve reuniões com Lula, o ministro da Economia, Fernando Haddad, o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Ricardo Alban e o presidente da Apex-Brasil, Jorge Viana. A todos, defendeu a criação de um programa de renegociação de dívidas para pequenas empresas e acredita que isso pode ser viabilizado.

– Eu acho que nós podemos, aqui, com segurança, levar para o Brasil a responsabilidade que nós temos com o tema da sustentabilidade. Mais do que isso, entender que os micro e pequenos negócios têm uma responsabilidade também para poder produzir, num mundo sustentável e, principalmente, no caso do Brasil, de uma importância extraordinária porque a grande maioria do povo brasileiro são micro e pequenos empreendedores. São 94% das empresas brasileiras e 55% dos empregos formais – argumentou Décio Lima.

Como tem conhecimento das dificuldades da maioria das pequenas empresas para levar adiante seus negócios com alguma sobra (lucro), o presidente do Sebrae vê necessidade de um apoio financeiro para que essas empresas também possam adotar mais práticas sustentáveis, como vem sendo recomendado na COP28. Segundo ele, a renegociação de dívidas e acesso a crédito são fundamentais para isso.

– Além disso, nós não poderíamos imaginar de realizar a COP 30 em Belém, no estado do Pará e pela primeira vez, no Brasil, sem a presença dos micro e dos pequenos empreendedores. Portanto, os desafios estão colocados para nós, do Sebrae, que precisamos resolver sobretudo, resolver um ambiente que contabiliza 6,5 milhões de pequenos negócios que hoje estão inviabilizados para obterem crédito, ou seja, precisamos do Desenrola como foi feito para o CPF, também para os CNPJs. Discutimos e conversamos aqui na COP 28, com aqueles que dirigem a economia brasileira, e ao mesmo tempo, vamos produzir para este ambiente aquilo que fundamental, crédito, e o Sebrae deverá anunciar no próximo período, a maior carteira já feita na história brasileira de crédito, com fundo garantidor para atender o setor – explicou ele.

Continua depois da publicidade

Presidente do Sebrae Nacional defende Desenrola às MPEs

Leia também

Presidente da Fiesc e diretor da WEG falam sobre hidrogênio verde após painel na COP28

Dois CEOs de SC e um conselheiro integram o grupo empresarial do G20

O que empresas de Santa Catarina buscam na COP28 em Dubai

BRDE assina parcerias na COP28 e se posiciona como “Banco Verde”

Banco da Família faz acordo com instituição da Europa para financiar economia verde

Associação Empresarial de Joinville pede derrubada do veto de Lula à desoneração da folha

Como Santa Catarina participa da COP28 sobre mudanças climáticas em Dubai

Destaques do NSC Total