Com a chegada de mais um Dia Internacional da Mulher, é importante reconhecer avanços, mas principalmente alertar para os obstáculos que persistem. Apesar de Santa Catarina ser considerada a terra do emprego, aqui também as mulheres encontram mais dificuldades para ter acesso a vagas. A taxa de desemprego delas é 44% maior que a dos homens no Estado.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Segundo a última pesquisa Pnad Contínua Trimestral do IBGE, do quarto trimestre de 2022, a taxa de desemprego no Estado ficou em 3,2%. Mas enquanto a taxa de desocupação para os homens ficou em 1,8%, o das mulheres registrou 2,6%, ou seja, 44%  mais.  

Em outro dado da pesquisa, a taxa de ocupação da força de trabalho da população economicamente ativa por gênero, eles também ficaram bem à frente. A dos homens chegou a 76,5% e a das mulheres ficou em 57,7%.

Os salários também seguem menores para elas no Brasil. Segundo a última estatística do IBGE sobre o tema, em 2021 as mulheres ganhavam, no país, em média, 20% a menos do que os homens.

Continua depois da publicidade

Um dos motivos dessa diferença é a discriminação salarial para exercer a mesma função. A outra é que muitas mulheres optam por trabalhar menos horas para poder conciliar com atividades de cuidados de familiares e serviços domésticos.

Mesmo diante desses obstáculos, é importante que as mulheres avancem no mercado de trabalho para o país ter um Produto Interno Bruto (PIB) ainda maior, para que elas tenham a sua independência financeira e também contribuam para ter aposentadoria.

Leia também

Santa Catarina concede licenças para investimentos de quase R$ 2 bilhões

Jorginho Mello adere ao grupo dos que criticam os altos juros no Brasil

Primeiro WTC Woman do mundo é lançado no Brasil por empresárias de SC

Mulheres são 44% em SC na carreira que controla números

Destaques do NSC Total