Única empresa interessada em ocupar um dos espaços comerciais da nova Praça das Rosas, em Blumenau, a Liebling Chocolates desistiu do investimento. A empresa comunicou a prefeitura no início de junho de que deseja a rescisão amigável do contrato. O motivo é a necessidade de alterações no imóvel recém-construído.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp

A Liebling conquistou a concessão do espaço de alimentação, onde poderia abrir um café ou restaurante. Tinha interesse de ampliar a participação na praça, assumindo outra loja ainda disponível e que não atraiu interessados. Mas o empresário Jean Havenstein disse que se sentiu desestimulado diante da necessidade de fazer adequações no imóvel. Não haveria preparação para instalar ar-condicionado, por exemplo.

A concessão seria válida por um ano, mas prorrogável por até cinco. Pelo espaço, a empresa pagaria um aluguel mensal de R$ 2,5 mil, valor mínimo exigido em edital.

O secretário de Parcerias e Concessões, Rodrigo Jansen, informou que a solicitação da marca de chocolates foi encaminhada à procuradoria para análise jurídica. Caso a rescisão se confirme, a prefeitura avaliará uma nova concorrência.

Continua depois da publicidade

Revés

A decisão da Liebling é um revés para a Praça das Rosas, ou Rosenplatz. O espaço inaugurado há sete meses permanece vazio, sem público ou programação de eventos. A operação comercial poderia representar uma virada na situação. Agora, o município retorna à estaca zero.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto do Whatsapp

Leia também

Conheça os três grupos candidatos a nova atração da Oktoberfest Blumenau

Oktoberfest Blumenau vai abraçar uma nova causa

Petistas de Blumenau lavam a alma na BR-470, mas cartazes invocam más lembranças

Crescimento de Gaspar, Indaial, Timbó e Pomerode no Censo traz lição para Blumenau

Destaques do NSC Total