nsc
nsc

Orgulho

Tóquio 2020: Obrigado Bias, Heberts, Mayras, Pedros e Ítalos

Compartilhe

Faraco
Por Faraco
09/08/2021 - 18h43
Jogos Olímpicos de Tòquio tiveram participação histórica dos atletas brasileiros
Jogos Olímpicos de Tòquio tiveram participação histórica dos atletas brasileiros (Foto: Andrej Isakovic, AFP)

Terminaram os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O time Brasil fez história com a melhor participação do país em Olimpíadas. Quantas madrugadas ficamos todos ligados e torcendo com orgulho pelos atletas brasileiros. Eles nos deram minutos de felicidade, de paixão, de encantamento, de vibração e orgulho. A maioria destes atletas era ainda desconhecida do grande público.

Mesmo assim estávamos lá empurrando Isaquias para o ouro, trocando socos juntos com a Bia Ferreira, com o Hebert Conceição, dando braçadas rápidas com Bruno Fratus. É sempre muito emocionante porque realmente nos sentimos representados na batalha de cada um. É o brasileiro na sua essência, dando o melhor durante a disputa, e tirando também daqui o melhor de nós.

> Catarinense do vôlei, Rosamaria agradece torcida brasileira: "Foi lindo"

O maior constrangimento neste período olímpico foi ouvir de alguns atletas um pedido de desculpas após uma derrota ou uma “não conquista”. Dá pra entender o pedido de desculpas deles. É pela educação que tiveram, pela disciplina da dedicação diária e de saberem que vestem nossa camisa. É perfeitamente compreensível.

Mas e nós? Quantas vezes vestimos a camisa deles em retribuição? Muito pouco. Na maioria das vezes somente na Olimpíada mesmo. Só pra vê-los ganhar e, quem sabe, superarmos através deles nossas frustrações pessoais ou coletivas.

> Brasil encerra Olimpíadas de Tóquio com melhor posição histórica no quadro de medalhas

O Brasil é o país que discute o futebol, comemora o vôlei e vive o momento efêmero de quem mais vencer qualquer coisa em nome do país. Essa é uma reflexão apenas. Um “mea-culpa”.

Na verdade, o Brasil pode ser o país daquilo que ele quiser ser. Com tanto espaço e tanta gente, com tantas diferenças, há lugar para todos os atletas e esportes. Dá pra fazer. Dá pra ser. É querer fazer. Esporte tem que ser plataforma de educação. É um caminho mais curto para boa formação de cidadãos e, quem sabe, atletas e campeões olímpicos.

> Bia Ferreira perde para irlandesa e fica com a prata no boxe olímpico

Enquanto isso, podemos já dar mais suporte para aqueles que estão aí, que têm disciplina no treino diário, que precisam de uma pequena ajuda, um apoio. Senão vamos ficar esperando mais uma vez de braços cruzados por mais uma olimpíada e quem sabe alguns momentos efêmeros de felicidade.

Por agora, por hora, a nossa obrigação é agradecer. Obrigado a todos. Valeu. Por cada madrugada e cada minuto de alegria ou paixão. Desculpas? Não, não precisam pedir desculpas. Nós que temos o dever de fazer esse pedido aos nossos atletas olímpicos de Tóquio. Eles, diante de seus esforços, suas disciplinas diárias, seus anos de treinamento e dedicação, foram perfeitos. Muito obrigado e obrigado de novo!

Leia também:

> Olimpíadas 2021: veja quais são as modalidades

> Tóquio 2020: relembre as aberturas mais marcantes das Olimpíadas

> "SC representa muito na minha vida", diz Bruninho, da Seleção de vôlei

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Mais colunistas

    Mais colunistas