nsc
nsc

Rede Municipal

Como bônus na educação em Joinville vão reduzir “conta” de R$ 160 milhões

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
13/05/2022 - 08h40
Investimentos em educação na rede municipal terá de ter R$ 160 milhões a mais nos próximos dois anos
Investimentos em educação na rede municipal terá de ter R$ 160 milhões a mais nos próximos dois anos (Foto: Arquivo AN)

Os incentivos para a educação em Joinville terão outro impacto além da anunciada valorização dos servidores municipais: os pagamentos também vão ajudar a prefeitura a reduzir o “déficit” do setor, o montante que deixou de ser gasto em 2020 e 2021 e terá de ser quitado entre 2022 e 2023. Essa conta é de R$ 160 milhões.

> Bônus de até R$ 8 mil: como vai funcionar em Joinville a meritocracia na educação municipal

​> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

A reserva prevista para os pagamentos aos profissionais da educação, principalmente professores, é expressiva. São R$ 36 milhões para os bônus extras pelo desempenho da escola em avaliação municipal e frequência, com pagamento de até R$ 8 mil para os professores e até R$ 4 mil para os demais profissionais. Há também R$ 28 milhões reservados para os incentivos de professores com jornada de 40 horas. No total, são R$ 64 milhões anuais.

O montante é o valor máximo: há possibilidade de não ser executado integralmente, vai depender do desempenho na avaliação, por exemplo. Ainda assim, será uma quantia expressiva. Mais funções gratificadas (pagas a servidores efetivos) serão criadas na educação. Essa despesa ainda teve divulgação de estimativa.

A prefeitura também pretende ampliar a cota patronal previdenciária da educação, passando de 22% para 28%, uma despesa de R$ 10 milhões anuais que também será incluída no cálculo do investimento em educação. O montante é desembolsado pela prefeitura – a cota dos servidores será mantida em 14%.

Pela mudança (PEC) na Constituição em vigor desde o final do mês passado, gestores que não alcançaram os 25% de investimentos na educação em 2020 e 2021 não serão responsabilizados, mas terão de “recuperar” o que deixou de ser gasto. Em Joinville, são R$ 33 milhões referentes a 2020 e R$ 127 milhões do ano passado. Os R$ 160 milhões precisam ser gastos, além dos 25%, em até dois anos.

> Prefeitura de Joinville garante reposição da inflação em negociação com servidores

> Prefeitura de Joinville lança edital de monitoramento, previsto no acordo da Vigorelli

> Por que cidade de SC quer proibir venda de bebidas alcoólicas para quem estiver embriagado

> Joinville tem lista de pedidos de identificação de nome de ruas

> Com sobrecarga, Hospital Infantil de Joinville faz “cobrança” às redes municipais

> Entidade de Joinville reage ao veto da prefeitura sobre regras para calçadas

> Projeto na Câmara de Joinville quer quadruplicar efetivo de guardas municipais

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas