nsc
    nsc

    MATRIZ DO GOVERNO DO ESTADO

    Só Joinville e região mantêm risco “gravíssimo” para coronavírus; novas flexibilizações ficam para outubro

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    16/09/2020 - 10h10 - Atualizada em: 16/09/2020 - 10h19
    Joinville e região estão em nível "gravíssimo" há dois meses
    Joinville e região estão em nível "gravíssimo" há dois meses (Foto: Mauro Schlieck, arquivo pessoal)

    A atualização da matriz de risco para a pandemia manteve Joinville e região em situação “gravíssima”, o que empurra novas flexibilizações para outubro: mesmo que as classificações das próximas semanas coloquem a regional Nordeste em patamar de menor gravidade, a Secretaria de Saúde de Joinville alega a necessidade de esperar mais tempo para que a situação se consolide. Mesmo antes da divulgação da nova atualização da classificação de risco, a prefeitura já tinha anunciado a prorrogação de uma série de medidas.

    > Leitos gerais de UTI pelo SUS em Joinville perto da lotação máxima: há uma vaga desocupada

    > Joinville ultrapassa 300 mortes por coronavírus, segundo dados do Governo do Estado

    O mapa divulgado pelo governo do Estado nesta quarta-feira mostra apenas a região de Joinville em nível “gravíssimo”. Outras 14 regionais apresentam situação “grave” e, no caso da região Extremo-oeste, o risco é considerado “alto”. A classificação tem ainda o nível “moderado”, de menor gravidade na escala. A Secretaria de Saúde de Joinville acredita que ativação de mais leitos de UTI podem mudar a classficação da regional Nordeste, por isso a cobrança junto ao governo do Estado para ativação de 20 vagas no Regional. A regional de saúde Nordeste é formada por Araquari, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Corupá, Garuva, Guaramirim, Itapoá, Jaraguá do Sul, Joinville, Massaranduba, São Francisco do Sul, São João do Itaperiú e Schroeder.

    Joinville e região estão em nível “gravíssimo” há dois meses. As futuras flexibilizações, agora com possibilidade de adoção somente a partir de outubro, envolvem ocupação máxima de 30% em estabelecimentos comerciais e outros locais de presença de público, horários de bares e restaurantes, suspensão de eventos e atividades culturais, limitações no transporte coletivo, entre outras.

    > Trânsito é liberado na Via Gastronômica de Joinville, mas trecho continua sem asfalto

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas