nsc
nsc

Planejamento

Afinal, é possível investir com 100 reais por mês?

Não é preciso ter grandes fortunas para conquistar uma carteira de investimento diversificada, mas alguns pontos de atenção são importantes para garantir bom retorno; Saiba mais

30/08/2021 - 07h05 - Atualizada em: 31/08/2021 - 15h01

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
investir com pouco dinheiro
O primeiro passo para quem deseja investir é montar uma reserva de emergência
(Foto: )

Ao começar a jornada financeira, é fundamental que investidores iniciantes reconheçam a importância de reservar valores para aplicações mensais. Ainda é comum que surjam dúvidas sobre as modalidades mais vantajosas em casos de pequenas quantias. No entanto, é possível investir com até cem reais por mês - ou até menos do que isso.

O primeiro passo é montar uma reserva de emergência, o equivalente a alguns meses do salário, e aportar os valores que não estão contemplados nessa reserva em outras modalidades de investimentos.

Importante reforçar que a reserva de emergência precisa ser um ativo com liquidez alta – ou seja, se a pessoa quiser retirar o dinheiro, é mais fácil. Quanto mais difícil retirar o dinheiro, vender aquele ativo, menos líquido ele é – como uma casa, por exemplo.

> Riscos do Day Trade: Operações diárias na bolsa possuem volatilidade elevada

Ativos mais líquidos, como fundos e contas digitais, têm bom rendimento e possibilitam o resgate imediato. Além disso, também é possível aplicar em alguns títulos públicos (é indicado verificar a carência do título antes de comprar) ou ainda na poupança, embora essa alternativa não seja a mais rentável. Quanto mais difícil retirar o dinheiro, vender aquele ativo, menos líquido ele é – como uma casa, por exemplo.

Começando a investir com pouco

Não é preciso ser milionário para ter uma carteira de investimentos diversificada e com ativos como fundos, CDBs e ações. O importante é que o valor destinado para ativos que apresentam grandes oscilações não façam parte da reserva de emergência – afinal, já imaginou ter colocado a única reserva em ações ou bitcoin, bater o carro e não ter o dinheiro suficiente para pagar a franquia do seguro?

Ativos com maior possibilidade de retorno no longo prazo também possuem maior risco, são impactados por fatores inerentes aos balanços da empresa, cautela do mercado por algum evento externo como a pandemia ou perturbações na política doméstica – as últimas semanas de Ibovespa mostram bem essa realidade.

Passando a fase da reserva de emergência em ativo líquido e não volátil, é possível investir mensalmente sem ter uma fortuna em mãos. Os grandes fatores que pesam na conta são: frequência de aplicação e o tempo que o dinheiro será investido.

Muitas pessoas ainda acreditam que não é possível fazer investimentos com pouco capital. Elas pensam que essas alternativas são destinadas apenas aos que já possuem uma reserva financeira de valor considerável. Isso acontece por falta de conhecimento sobre onde investir com pouco dinheiro. 

Com os investimentos adequados e uma boa estratégia, é possível obter rentabilidade e aumentar seu patrimônio ao longo do tempo. Basta se organizar, ter constância nos aportes e manter o foco para atingir suas metas. A orientação de Michele Scoz, especialista em investimentos da Warren, com certificação CEA, é sempre “se pagar primeiro”.

> Conheça os principais termos do mercado financeiro com o glossário do investidor

— Outro ponto importante é primeiro pagar os seus investimentos. A prática evita que você corra o risco de não ter dinheiro sobrando no fim do mês para investir. Então, pense sempre no investimento como uma conta fixa. Uma dica é determinar um valor adequado ao seu orçamento e separar o dinheiro assim que receber seu pagamento. Dessa forma, será necessário adaptar seus gastos mensais ao restante que sobrou após fazer o investimento, e não o contrário — reforça a especialista.

Entre as opções de investimento com valores baixos, estão títulos do tesouro, alguns fundos de investimento, CDBs, fundos imobiliários e ações. Lembrando que, quanto mais diversificada a carteira do investidor, menores os riscos no longo prazo.

Títulos públicos do Tesouro Direto

Os títulos públicos do Tesouro Direto estão entre os investimentos para começar com 100 reais mais acessíveis do mercado. Com apenas 30 reais já é possível investir em algum dos papéis disponíveis no Tesouro Direto. No entanto, se o investidor não for resgatar os valores apenas no vencimento, é preciso tomar cuidado com as oscilações. Neste ano, por exemplo, há LTNs no negativo – mesmo que no momento do aporte o pagamento com rendimento positivo seja efetuado.

Fundos de investimento

Assim como títulos públicos, os fundos são uma aplicação acessível, com opções para todos os bolsos. Claro que há fundos que permitem somente aportes mais altos. No entanto, há cada vez mais fundos de investimentos para começar com 100 reais – tanto no mercado interno quanto no exterior. Também é possível investir em fundos ESG e aplicar em empresas que estão adequadas a causas socioambientais e de governança corporativa. Verifique as credenciais de quem gere o fundo antes de comprar.

CDB

Sigla para Certificado de Depósito Bancário, o CDB. Ele é um dos investimentos mais populares entre os brasileiros, ao lado da poupança e dos fundos. O CDB nada mais é que um título emitido pelos bancos para captar recursos. Portanto, mais uma opção de investimento para começar com 100 reais. No entanto, verifique com cautela qual o histórico de quem emite o CDB.

Ações

Investir em ações também não é algo apenas para quem tem muito dinheiro. Não há um valor mínimo para fazer a aplicação. É possível investir em papéis de empresas na bolsa por dois caminhos. Um deles é comprar as ações diretamente, escolhendo uma a uma, tarefa que exige bastante pesquisa. O outro é investir por meio de um fundo de ações.

No primeiro caso, é importante conhecer a empresa na qual vai investir, o histórico dela, o desempenho do setor no qual ela atua, entre outras variáveis. No caso dos fundos de ações, você compra um produto com uma cesta com diferentes papéis e não precisa se preocupar em escolher as ações, por exemplo. Ao investir em ações, é comum verificar indicadores como a relação Preço/Lucro; endividamento e pagamento de dividendos (dividend yeld). Não é preciso calcular na mão, há sites que já possuem esses indicadores prontos para o investidor.

Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários são investimentos de renda variável. Sendo assim, possuem algum tipo de risco envolvido e não é possível saber quanto você irá resgatar. Além disso, ele não é recomendado para os investidores iniciantes. Esse tipo de aplicação pode ser interessante para quem deseja viver de renda, já que é possível realizar a distribuição dos lucros entre os investidores. E o melhor é a possibilidade de começar a investir com somente R$ 100.

Investir de forma descomplicada

Agora que você já entendeu que existem várias opções para investir seu dinheiro, é fundamental escolher uma plataforma onde você encontrará segurança, transparência e facilidade. Para isso, contar com uma corretora de credibilidade e experiência pode fazer toda a diferença.

Com a Warren, o investidor possui acesso a bons fundos e gestores especializados. Assim, o cliente não precisa se preocupar com a escolha de produtos para investir. Essa decisão é feita pelo time de especialistas da empresa, que avalia o perfil de investidor do cliente, seu objetivo de vida e o prazo que deseja seguir. A tomada de decisão é feita de forma conjunta, com transparência, do início ao fim.

Na Warren você pode investir a partir de R$ 1,00. Saiba mais detalhes sobre a plataforma.

Quer saber mais sobre investimentos? Acesse o canal Investe Mais no NSC Total.

Leia também

Tecnologia auxilia consultórios odontológicos com exames por imagem mais precisos

Novo comportamento do consumidor desafia setor imobiliário

Arquitetos catarinenses investem no paisagismo como diferencial e conquistam espaço no mercado

Colunistas