nsc
    hora_de_sc

    Natureza

    Confira cinco animais encantadores já avistados em Santa Catarina

    25/07/2020 - 05h00

    Compartilhe

    Por Janaína Laurindo
    Visitante frequente, o leão-marinho é simpático, mas especialista orientam evitar se aproximar do animal
    Visitante frequente, o leão-marinho é simpático, mas especialista orientam evitar se aproximar do animal
    (Foto: )

    Santa Catarina é reconhecida nacionalmente por suas belezas naturais, sua biodiversidade está representada em centenas de espécies que compõem a fauna e a flora catarinense. Além das espécies nativas o Estado também recebe alguns outros animais encantadores. Alguns, como as baleias-francas e os pinguins, podem ser avistados anualmente em seu processo migratório, mas há também espécies que intrigam especialistas ao serem encontradas, como os guarás de plumagem vermelha, que após 200 anos voltaram a ser flagrados em Florianópolis. Reunimos uma lista com cinco animais incríveis já registrados no Estado.

    Albatroz-de-sobrancelha-negra

    Os albatrozes passam a maior parte da vida em mar aberto
    Os albatrozes passam a maior parte da vida em mar aberto
    (Foto: )

    Em abril deste ano, um albatroz-de-sobrancelha-negra apareceu em uma plantação de arroz em Rodeio, no Médio Vale do Itajaí, e intrigou especialistas. A ave oceânica resgatada a mais de 100 quilômetros da costa despertou a curiosidade dos biólogos, que não conseguiram explicar como o animal foi parar na plantação. Os albatrozes se alimentam de lulas, sardinhas e krills e normalmente só vão para terra firme para fazer ninhos e alimentar os filhotes.

    > Leia também: Série de choques de pássaros contra vidros, em Blumenau, impressiona especialistas

    Leão-marinho e elefante-marinho

    Esses visitantes aparecem com bastante frequência no litoral de Santa Catarina nesse período do ano, entre inverno e primavera, em que as águas estão mais frias. Diferenciar o leão e elefante-marinho pode ser uma tarefa complicada. Na comparação com a família das focas, leões e lobos-marinhos, a diferença do elefante-marinho é não ter orelhas, além de ter a locomoção apoiada na "superfície ventral" e não nas nadadeiras. Mas a orientação dos especialistas é não se aproximar dos animais para tentar identificar ou fazer registros, já que apesar de simpáticos, são animais selvagens.

    O zootecnista Rodolfo Buratto Nuernberg fez um registro bastante inusitado, em maio, mantendo a distância ele conseguiu filmar um leão-marinho em seu momento de descanso, nas águas de Balneário Camboriú.

    > Leia também: Elefante-marinho aparece em praia de Palhoça, na Grande Florianópolis

    Guará (eudocimus ruber)

    Em novembro de 2019, em Florianópolis, uma revoada de guarás com plumagem avermelhada surpreendeu pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina. As aves não estão ameaçadas e não integram a chamada lista vermelha da UICN (União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais), mas não eram vistas nesta região havia mais de 200 anos. A possibilidade é que o animal retornou para o local após a recuperação de mangues na ilha, onde eles buscam por alimento, crustáceos (carotenoides), que lhe a coloração diferenciada. À medida que envelhecem, a cor se torna cada vez mais brilhante e intensa, o que os deixa semelhantes aos flamingos.

    Pinguins-de-Magalhães

    Outro visitante comum em Santa Catarina são os pinguins-de-Magalhães, que na proximidade do inverno no Hemisfério Sul, deixam a Patagônia, na Argentina, e rumam ao norte em busca de alimento. A maioria das aves avistadas no litoral é juvenil, no primeiro ano de vida, e encaram a primeira viagem migratória. É comum encontrar algumas dessas aves na beira das praias cansadas, debilitadas, desidratadas, com quadro de pneumonia e necessitando de cuidados. Muitos, infelizmente, já sem vida. Ao avistar um pinguim debilitado na faixa de areia, ligue para o PMP-BS pelo telefone 0800 642 3341. 

    Alguns aves necessitam de reabilitação após a captura
    Alguns aves necessitam de reabilitação após a captura
    (Foto: )

    > Leia também: Iniciada temporada de pinguins-de-Magalhães nas praias de Florianópolis

    Baleia-franca

    Em Santa Catarina, desde o ano 2000, existe uma Área de Proteção Ambiental (APA) dedicada às baleias-francas, isso porque a espécie, anualmente, entre os meses de maio e novembro, deixa as águas frias do litoral sul da Argentina para dar a luz e amamentar os seus filhotes em águas mais quentes. Não é difícil encontrar mães com seus filhotes nadando próximo à costa.Em agosto de 2019, o fotógrafo Cristian Cruz registrou em vídeo o passeio de uma baleia-franca com seu filhote pela orla da Praia de Bombas, em Bombinhas.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas