nsc
dc

Crime

Assalto em Criciúma: galpão usado por quadrilha é encontrado em Içara; polícia investiga o local

Os policiais estiveram no galpão por volta do meio-dia desta quarta-feira (2)

02/12/2020 - 14h08 - Atualizada em: 02/12/2020 - 16h56

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Galpão usado por quadrilha que assaltou banco em Criciúma é alvo de investigação
Galpão usado por quadrilha que assaltou banco em Criciúma é alvo de investigação
(Foto: )

A Polícia Militar localizou nesta quarta-feira (2) um galpão que teria sido usado pelos assaltantes responsáveis pelo roubo a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma, na madrugada de terça-feira (1º).

> Quadrilha ficou em Criciúma por pelo menos três meses para planejar assalto a banco, indica investigação

> Polícia investiga se mulher presa em SP tem ligação com o crime em Criciúma

De acordo com a PM, o local fica no bairro Presidente Vargas, em Içara, perto do limite com Criciúma, no Sul de SC. No local existem outros galpões parecidos e algumas residências do outro lado da rodovia. Os policiais estiveram no galpão por volta do meio-dia desta quarta .

Segundo o coronel Marcelo Pontes, subcomandante-geral da PM, nenhum equipamento usado no crime foi encontrado no galpão, que estava praticamente vazio. Conforme a PM, os veículos usados no assalto foram pintados dentro do galpão. Câmeras de segurança nos arredores também mostram o comboio de carros passando pelo local horas antes do crime, além do caminhão que foi incendiado pelos criminosos.

O andamento das investigações do grande assalto aponta que os bandidos teriam ficado ao menos três meses na cidade organizando o crime.

Conforme a polícia, cerca de 30 homens encapuzados atuaram no assalto à agência bancária. A ação teve início no fim da noite de segunda (30), por volta das 23h50min, e se estendeu ao longo da madrugada desta terça.

> Assalto a banco em Criciúma é considerado o maior da história de SC

> Rádio de Criciúma interrompe transmissão após ameaças; veja vídeo

Os criminosos provocaram incêndios, bloquearam ruas e acessos à cidade, atiraram contra o Batalhão da Polícia Militar e usaram pessoas como escudos - a polícia estima que entre 10 e 15 pessoas foram feitas reféns, seis delas funcionários do Departamento de Trânsito e Transporte (DTT) de Criciúma que pintavam faixas nas ruas da cidade.

Um policial militar ficou ferido. Ele voltava para o batalhão quando foi baleado. O agente está internado em estado grave e passou por três cirurgias.

Local usado pelos criminosos fica no bairro Presidente Vargas, em Içara
Local usado pelos criminosos fica no bairro Presidente Vargas, em Içara
(Foto: )

Leia também:

> Assalto em Criciúma: polícia descobre pistas de homem que assaltou banco

> Criciúma e Cametá: cinco semelhanças entre os dois assaltos a banco

> Criminosos arrombam banco e queimam carro no Oeste de SC

Colunistas