nsc
dc

Saudades

Assassino usou rojões em ataque a creche em SC e planejou crime por 10 meses, revela polícia

Testemunhas relataram que após cometer os crimes em Saudades, o autor teria dito que seu objetivo era invadir a escola onde estudava

07/05/2021 - 05h00 - Atualizada em: 09/05/2021 - 21h21

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
Jovem de 18 anos invadiu a escola Infantil Pró-Infância Aquarela na manhã do dia 4 de maio
Jovem de 18 anos invadiu a escola Infantil Pró-Infância Aquarela na manhã do dia 4 de maio
(Foto: )

As investigações sobre o ataque a creche em SC que deixou cinco mortos avançam e a Polícia Civil descobriu mais detalhes sobre como o autor agiu no dia 4 de maio. Testemunhas relataram ao delegado Jerônimo Marçal que, após cometer os crimes, o jovem de 18 anos teria dito que planejava o atentado há 10 meses. Ele também teria usado rojões para assustar as pessoas no local.

> Bebê que sobreviveu a ataque em creche de Saudades recebe alta do hospital

> Funcionária de creche em Saudades lembra atentado: "Ele veio até minha direção calmo'

Conforme o delegado, logo depois que o jovem cometeu os ataques, ele teria dito para pessoas que estavam no local que seu objetivo era invadir a escola Escola de Educação Básica Rodrigues Alves, onde estudava até o ano passado. Disse ainda que planejava esse atentado há 10 meses.

"As crianças estão todas feridas", alertou vítima de ataque a creche em SC; ouça ligação aos bombeiros

> Receba notícias de Santa Catarina por WhatsApp

Após coletar depoimentos dos familiares e analisar informações do celular do autor nesta quinta-feira (6), Marçal diz que está "conseguindo montar o perfil dele" e a Polícia Civil está "caminhando para descobrir uma motivação".

O delegado Jerônimo Marçal já havia dito que o jovem é "um rapaz problemático" que, segundo a família, passava muito tempo no quarto jogando games violentos e sofria bullying na escola.

Uso de rojões

Ainda segundo informações da Polícia Civil, o assassino usou rojões durante o ataque que foram recolhidos no local para perícia. Testemunhas relataram à polícia que ficaram assustadas porque acharam que os barulhos ouvidos eram disparos de armas de fogo, mas só depois souberam que o autor portava apenas dois facões.

Os motivos que levaram o assassino a utilizar os rojões ainda estão sendo analisados pela polícia.

> Combate ao bullying nas escolas e mais segurança podem evitar tragédias como a de Saudades

Como foi o ataque

O jovem de 18 anos invadiu a escola Infantil Pró-Infância Aquarela na manhã do dia 4 de maio. Armado com uma espada e um outro facão, ele atacou uma professora na entrada da escola e uma agente educacional. Depois, seguiu para uma sala e feriu quatro crianças. Três delas morreram.

Os corpos das cinco vítimas foram enterrados na quarta-feira no Cemitério Municipal de Saudades.

O único sobrevivente é um bebê de 1 ano e 8 meses. Ele foi transferido na quarta para o Hospital da Criança, em Chapecó. Segundo boletim médico divulgado nesta quinta-feira (6), a criança tem estado de saúde estável.

Segundo a polícia, o autor do atentado também desferiu golpes contra si próprio e foi encaminhado em estado gravíssimo a um hospital em Pinhalzinho, cidade vizinha a Saudades e depois foi transferido para o Hospital Regional de Chapecó. Ele segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) se recuperando de uma cirurgia, segundo o último boletim médico.

Leia também

Da tragédia à emoção do adeus: o ataque a creche em SC em 10 imagens

Pai de criança morta no ataque a creche em SC chora e desabafa: "Um anjinho"

Em ataque a creche de SC, professoras trancaram crianças na sala de aula para evitar mais mortes

Cenas de horror e gritos por socorro: professora relata desespero durante ataque a creche em SC

Colunistas