Em cinco anos, o tempo médio necessário de trabalho para comprar a cesta básica em Santa Catarina aumentou 39 horas, segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No mês passado, o preço médio dos 13 alimentos que compõem a cesta foi de R$ 753,82.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

De acordo com o Dieese, em outubro de 2022, o tempo médio necessário de trabalho para comprar a cesta básica em Florianópolis, que serve como base para o Estado, foi de 135 horas e 50 minutos. Já em outubro de 2017 era de 97 horas e 46 minutos, para uma cesta com preço médio de R$ 416,41.

Apesar do expressivo aumento entre 2017 e 2022, vale ressaltar que no último ano, o tempo médio necessário de trabalho diminuiu cerca de quatro horas. Em outubro de 2021, foi de 140 horas e 8 minutos.

O cálculo leva em consideração o valor do salário mínimo, atualmente em R$ 1.212 e considera uma jornada de trabalho de 220 horas por mês — como previsto na Constituição de 1988.

Continua depois da publicidade

Cesta básica x salário mínimo

O Dieese calcula o preço de 13 alimentos básicos consumidos pelos brasileiros e faz uma média do valor em 17 capitais atualmente. No último levantamento, Florianópolis ficou na terceira posição do ranking, atrás de Porto Alegre e São Paulo.

O tempo médio de trabalho para comprar a cesta básica em Florianópolis no mês passado (135h e 50 min) ficou acima da média nacional (119h e 37min).

Inflação de Santa Catarina

No mês de outubro, a inflação de Florianópolis, cálculo que serve como base para Santa Catarina feito pela Udesc/Esag, voltou a subir — + 0,10% em relação a setembro. Apesar disso, o grupo de alimentos e bebidas ficou praticamente estável (+0,04%). A alta foi puxada principalmente pelos transportes.

Leia também

SC tem 4 cidades no ranking das 10 com imóveis mais caros do país; veja lista

Florianópolis é a Capital com maior alta do aluguel no último ano; veja preço por bairros

Família de SC cria solução inusitada e compra vaca para economizar no leite

Destaques do NSC Total