O setor de raio-x do Hospital Celso Ramos em Florianópolis foi fechado na manhã desta segunda-feira (1º), depois de um alagamento causado pela chuva forte que atinge a capital desde a madrugada. Com isso, as salas de exames 1 e 2 foram desativadas, como medida de segurança, para evitar quedas e choques elétricos de pacientes e funcionários.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias de Florianópolis e região no seu WhatsApp

Apenas a sala 3 permanece em atividade, mas caso aumente o acúmulo de água no corredor, também será fechada. Antes de serem religados, os equipamentos passarão por uma avaliação técnica. A informação foi divulgada pela NSC TV. 

A reportagem entrou em contato com a secretaria de Estado da Saúde que ficou de informar como a água entrou no local e uma previsão para retomada do serviço.

> Técnica de enfermagem morre de Covid-19 sem vaga na UTI

Continua depois da publicidade

> Em colapso, Santa Catarina tem 155 pessoas na fila de espera por leito de UTI

Outros alagamentos

A chuva que atinge a Grande Florianópolis desde a madrugada alaga ruas na capital e em São José. Na Via Expressa, no sentido Norte, no Morro do Avaí, uma encosta deslizou sobre o acostamento e há risco de novas quedas, conforme a Guarda Municipal. Em função disso, a terceira faixa foi bloqueada e até pouco antes das 11h não havia previsão de liberação.

No Centro, a água se acumulou em vários pontos, como a saída do Elevado Dias Velho. Na Avenida Beira-mar Norte, no sentido bairro, a pista ficou alagada na região do Hotel Baía Sul e da marginal próximo ao Elevado do CIC. No Norte da Ilha, também houve alagamento.

Em São José, ruas de bairros como Kobrasol e Campinas ficaram alagadas e uma queda de árvore sobre residência foi registrada no bairro Serraria. A Defesa Civil de Florianópolis e São José não havia divulgado um balanço das ocorrências causadas pela chuva até a publicação desta notícia. 

*Com informações da NSC TV

Leia mais:

> Gean Loureiro pede desculpas por férias no México: “Senti que precisava muito parar”

Continua depois da publicidade

> Governo de Santa Catarina recusa recomendação para lockdown de 14 dias

> Pedido de liminar pode obrigar União a pagar leitos privados em todo o país para SC

Destaques do NSC Total