nsc
hora_de_sc

Mundo Animal

Cobra de jardim é venenosa? Conheça a espécie

Há vários tipos de cobra de jardim. Entenda o que fazer se encontrar uma delas.

22/07/2021 - 12h39 - Atualizada em: 22/07/2021 - 12h40

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
Certas plantas atraem a cobra de jardim, como o alecrim e a árvore de sândalo
Certas plantas atraem a cobra de jardim, como o alecrim e a árvore de sândalo
(Foto: )

A cobra de jardim costuma ser atraída por certas plantas e aparecer, principalmente, na área urbana na época das chuvas, procurando, entre outras coisas, alimento e abrigo. Na primavera também é comum aparecer uma serpente no jardim ou até mesmo em casa.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

As cobras podem ficar presas em outros locais da casa, como piscinas e lagos ornamentais. Na maioria das vezes, esses animais precisam de ajuda. E não há motivo pra se assustar.

Gostando ou não desses répteis, assustando-se ou não, as cobras são de fato parte crucial do ecossistema. Elas repelem e controlam outras pragas, como camundongos, ratos, baratas e outros insetos, inclusive no jardim de casa.

No Brasil já foram encontradas mais de 400 espécies diferentes de serpentes, sendo mais de 160 exclusivamente brasileiras.

Cobra d’água é a espécie mais comum entre as cobras de jardim

As serpentes d’água mais comuns de jardim são as cobras bastardas ou cobras de escada. Com atividades diurnas e pouco noturnas, estas costumam ser vítimas de atropelamentos porque procuram sempre o calor retido no asfalto das estradas pra se aquecerem durante a noite.

A cobra d’água pode ser encontrada desde o Sudeste até o Sul do Brasil, sendo seu habitat a Mata Atlântica e o Cerrado. Em relação à reprodução, as cobras d’água são ovíparas. Elas põem entre 15 e 18 ovos com nascimento previsto para o início da estação chuvosa.

> Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

As cores da cobra d’água

A coloração desse réptil varia muito da região onde é encontrado. Na Mata Atlântica, por exemplo, é mais comum vê-lo no padrão amarelo com preto. Enquanto no Cerrado é mais frequente aparecer num tom esverdeado com preto.

Também existem as cobras de cor escura: marrom, bronzeadas ou acinzentadas. As costas e os lados têm uma série de manchas quadradas alternando entre si que podem se fundir para formar bandas.

Serpentes adultas podem parecer marrom ou preto sólido, especialmente quando secas. A barriga é geralmente branca, amarelada ou alaranjada com bordas escuras em forma de meia-lua.

As cobras mais jovens têm selas marrom-avermelhadas em um fundo bege, marrom ou cinza. Já os machos são geralmente menores que as fêmeas.

> Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Cobra d’água vive principalmente em água?

A cobra d’água é conhecida cientificamente por liophis miliares, pertencente à família colubridae. É uma espécie de pequeno porte, podendo chegar até 65 cm. Esse réptil é excelente nadador, fácil de ser encontrado nos açudes, banhados, campos alagados, entre outros locais com água.

Esta espécie consegue passar submersa por vários minutos, apenas com o oxigênio retido nos seus pulmões. Alimenta-se de peixes, mas pode comer pequenos anfíbios como rãs, aves juvenis e pequenos mamíferos.

No entanto, há inúmeras espécies de cobras d’água. Algumas vivem também no chão, outras em árvores e algumas ainda são semiaquáticas.

> "Desde pequena ela sempre foi meio maluca", diz dono de vaca que ficou presa no telhado em SC

Cobra de jardim é venenosa?

A cobra d’água é uma espécie dócil e costuma fugir quando perturbada. Quando atacar por ser incomodada, alertamos que sua mordida é inofensiva. Embora a maioria das espécies não seja venenosa, elas incluem algumas cobras mais mortais. Por esta razão, deve-se ter cuidado quando confrontado com uma cobra d’água desconhecida.

Embora a cobra de jardim não seja venenosa, elas incluem algumas cobras mais mortais.
Embora a cobra de jardim não seja venenosa, elas incluem algumas cobras mais mortais.
(Foto: )

> Quais as cobras venenosas mais encontradas em Blumenau

Normalmente, sua dentição é classificada como opistóglifa, ou seja, seus dentes inoculadores de peçonha se encontram na parte posterior do maxilar superior, apresentando, assim, perigo extremamente reduzido para o homem. Mesmo não sendo venenosa, quando ameaçada sibila, incha e bate com o focinho.

A cobra d’água não representa um perigo para o homem. No entanto, merecem o nosso respeito. Se por um acaso encontrar alguma no seu jardim, ligue para os bombeiros para que façam a retirada do animal.

E não tente manusear a serpente sem conhecimento, nem capturar ou matar. A cobra quando encurralada pode atacar de grandes distâncias. Pense primeiramente em sua segurança.

> Vídeo: Bombeiros tiram duas cobras de 2 metros de telhado de casa em SC

Plantas que mais atraem a cobra de jardim

Selecionamos, a seguir, algumas plantas e ervas que atraem a cobra de jardim, oferecendo um habitat confortável a ela:

Alecrim, glória-da-manhã e outras plantinhas que exalam cheiro forte e aromático;

Plantas em geral que cobrem o solo, como folhas, compostagem, palha, além de restos de madeira ou de lenha e montinhos de grama cortada são ideias para que as cobras de jardim se escondam;

Árvore de sândalo muito perfumada;

Rainha da noite devido a sua fragrância forte e hipnotizante;

Árvore de cedro com fragrância muito apreciada pelas serpentes

Preste atenção aos galhos de árvores: há cobras de jardim que gostam de se bronzear, pendurando-se em galhos de árvores. Muitas delas ficam nos galhos para coletar a luz do sol e depois caem na água ao perceberem ruídos e movimentações. Ou seja, elas não caem na água para atacar, mas sim para fugir.

> Santa Catarina registra pelo menos 10 ocorrências com cobras em quatro dias

Como manter as cobras afastadas do jardim e de casa

Limpe o seu quintal para evitar esconderijos pras serpentes;

Apare sempre a grama, desmanche as moitas, feche os buracos e pode bem as plantas;

Retire fontes de alimento para a cobra, como infestação de insetos, baratas, gafanhotos, camundongos e ratos. Use armadilhas ou veneno para afastar esses animais;

Utilize cerca à prova de cobras em locais de maior movimentação de pessoas. Esta pode ser feita de plástico, metal ou de rede, devendo ficar enterrada no chão e inclinada pra fora, para que não consigam escalar;

Ligue o cortador de grama, caso desconfie que há alguma cobra no seu jardim. As serpentes ficam assustadas com o barulho e a vibração causadas pelo equipamento e se afastam do local;

Distribua armadilhas mecânicas pelo seu jardim.

Para não ser surpreendido por uma cobra de jardim é necessário manter o terreno limpo
Para não ser surpreendido por uma cobra de jardim é necessário manter o terreno limpo
(Foto: )

O que fazer ao encontrar uma cobra de jardim?

Preparamos um passo a passo, caso algum dia tenha que enfrentar um encontro com uma cobra de jardim. São poucas as espécies de serpentes venenosas, mas não vale a pena arriscar, ainda mais quando não sabemos diferenciar cobra de víbora.

Esta última é assim denominada por ter veneno. Esperamos que isso não aconteça com você, mas se ocorrer, fique atento a essas dicas:

Mantenha a calma e procure não perder a cobra de vista, para que possa mostrá-la para o profissional responsável por sua captura;

Mova-se com cuidado pra não assustar ou estressar a cobra;

Afaste seus animais de estimação do local onde está a serpente. Procure mantê-los presos até que a cobra seja levada pra fora de seu jardim ou de sua casa;

Entre em contato com o Corpo de Bombeiros, Polícia Ambiental, Centro de Zoonoses ou alguma associação de herpetologia que estuda anfíbios e répteis na sua região;

Enquanto o resgate não chegar, continue vigiando a cobra;

Se não houver nenhum tipo de coleta do animal onde você está e se a espécie não for perigosa, você poderá resgatá-la. Utilize um balde ou caixa, direcionando a cobra até o interior com um bastão;

O próximo passo é liberar a serpente em uma região de mata ou floresta mais próxima. Mas atenção: só resgate por sua conta se conhecer bem a espécie do réptil que está manuseando;

Toda cobra encontrada em área urbana precisa ser entregue de volta à natureza o mais rápido possível pra não causar estresse ao próprio animal.

As espécies mais comuns por continentes

América do Norte

A espécie mocassim de água de algodão, mocassins de água ou cottommouth é venenosa e está relacionada com cascavéis e cabeças de cobre, podendo ser mortais. Costuma deitar-se com a boca aberta, mas geralmente essas víboras evitam os humanos, exceto se forem provocadas.

Outras cobras não-venenosas podem ser encontradas na América do Norte: a serpente de água verde da Flórida, a cobra-d’água cascavel de diamante, a cobra marrom da água, a cobra do pântano salgado, a cobra da água, e a cobra d’água do sul. Nenhuma dessas cobras é agressiva ou venenosa, mas se parecem com as mocassins de água.

> WhatsApp vira antídoto para picadas de cobras e outros animais

América do Sul

A cobra-d’água mais comum na América do Sul é a serpente de mangue da Venezuela e das ilhas de Trinidad e Tobago e Guianas. Não são venenosas, mas também atacam se forem provocadas.

Ásia

A cobra-d’água asiática é encontrada em todo o sudeste da Ásia, China, Indonésia e partes da Ásia Ocidental. Também não é venenosa, mas segue o mesmo instinto das demais, ficando agressivas ao serem importunadas.

As cobras e seus mistérios

Dão medo e assustam. Mas estes animais alongados, desprovidos de patas, pálpebras móveis e orelhas também fascinam. São detentores de um corpo escamoso e apresentam cores diferenciadas.

Todas as serpentes são carnívoras e algumas contam com peçonha e injetam sua toxina ou veneno para matar suas presas antes de as comerem. Outras matam as suas presas por constrição, ou seja, por pressão, sem mastigar devido à mandíbula flexível que possuem.

Numerosas outras articulações do seu crânio permitem a esses animais abrir a boca de forma a engolir toda a sua presa, mesmo que ela tenha um diâmetro maior que a própria cobra. Muitas delas podem matar um adulto, se este não for resgatado e tratado a tempo.

É de extrema importância conhecer um pouco sobre as várias espécies de cobras para poder se defender caso elas apareçam no seu caminho. Porém, quando possível, é fundamental também a preservação das cobras na natureza, já que elas ajudam a equilibrar o ecossistema.

Confira os 3 animais mais bizarros e curiosos

Leia também

Recorde de frio em SC: confira as menores temperaturas registradas na história

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Caso Evandro: o que aconteceu e as teorias do crime da série na Globoplay

O que são as variantes do coronavírus e como elas impactam Santa Catarina

Neve em Santa Catarina: saiba em quais cidades é possível ver o fenômeno

Colunistas