nsc
dc

Atividade econômica

Confira as 10 cidades com menor PIB em Santa Catarina

Dos 10 municípios com o pior desempenho, sete têm menos de 2 mil habitantes

17/12/2021 - 18h58

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Santiago do Sul, menor cidade do Estado em tamanho de população, teve também o menor PIB por município
Santiago do Sul, menor cidade do Estado em tamanho de população, teve também o menor PIB por município
(Foto: )

Municípios com menos de 2 mil habitantes concentram os menores valores de PIB por cidade de Santa Catarina. Das 10 com a menor produção interna em 2019 no Estado, sete tinham população menor que este limite. Os dados por cidades do produto interno bruto, que mede a geração de riqueza, foram divulgados nesta sexta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quatro cidades de SC seguem na lista das mais ricas do país; veja ranking

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Apenas três cidades entre os 10 piores desempenhos de SC ficam acima deste tamanho populacional: Coronel Freitas (2,5 mil moradores, segundo estimativa do IBGE) e Entre Rios (3,2 mil), no Oeste, e Presidente Nereu (2,2 mil), no Alto Vale do Itajaí.

Os municípios de Santiago do Sul, Barra Bonita e Irati, todos no Oeste, tiveram os menores PIBs de Santa Catarina em 2019. Santiago do Sul, que também é a menor cidade de SC no número de habitantes, com apenas 1,2 mil habitantes estimados pelo IBGE, contabilizou PIB de R$ 35 milhões. As outras duas cidades produziram o equivalente a 36,8 milhões e 38,8 milhões, respectivamente.

Ao contrário do ranking das cidades mais ricas, em que SC emplacou quatro municípios entre os 100 maiores PIBs, no caso das cidades que menos geraram riquezas o Estado não tem nenhum território entre os 100 menores valores de produto interno. O menor PIB de SC, Santiago do Sul, é apenas o 167º no ranking nacional.

Cinco das 10 cidades com menor PIB em SC estão também entre os 10 municípios com a menor população: Santiago do Sul, Barra Bonita, Lajeado Grande, Paial e Flor do Sertão.

Em relação ao ano anterior, 2018, três cidades saíram da lista de 10 piores PIBs de SC: Jardinópolis, Presidente Castello Branco e Painel – que teve o maior ganho de posições. Em contrapartida, Presidente Nereu, Entre Rios e Coronel Martins caíram no ranking e ficaram entre os 10 desempenhos mais baixos.

A maior queda percentual ocorreu na cidade de Coronel Martins, que caiu 4,4% entre os dois anos. Lajeado Grande viu o PIB subir 21%, mas mesmo assim permaneceu com o oitavo pior número do Estado.

Em material do governo de SC, o economista da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Paulo Zoldan, apontou uma tendência de concentração da produção de riquezas do Estado na faixa litorânea, entre a Grande Florianópolis e o Nordeste, com "menor dinamismo e densidade populacional" em outras áreas do Estado.

Especialistas ouvidos pela reportagem apontam que o fato de ter os menores PIB não significa, necessariamente, que estes sejam os municípios mais pobres do Estado. Isso porque o indicador mede o total da produção econômica de um local, mas não permite apontar a distribuição desta riqueza. Assim, cidades com empresas de maior porte podem registrar PIBs mais altos, sem que o mesmo crescimento ocorra automaticamente na renda da população local.

SC confirma 7 casos de Influenza H3N2 e divulga alerta aos municípios

Cidade do Sul de SC têm menor PIB per capita

O PIB per capita é o resultado do total do produto interno de um local dividido pelo número de habitantes. Embora não represente a distribuição exata da riqueza produzida, permite a comparação entre locais com tamanhos diferentes de população.

Nesse ranking, Pescaria Brava (R$ 9,5 mil por habitante), no Litoral Sul, Balneário Arroio do Silva (R$ 13,7 mil), no Extremo Sul, e São Pedro de Alcântara (R$ 15 mil), na Grande Florianópolis, tiveram os três piores desempenhos em SC no ano de 2019.

Nessa relação, nenhuma das 10 menores cidades em tamanho de população aparece. Os 10 integrantes também são os mesmos do ano anterior, 2018 (veja abaixo).

Leia também

Startups de SC revelam os segredos para se tornarem milionárias em menos de 10 anos

Hotéis, restaurantes e aeroporto preveem movimento pré-pandemia para o verão 2022

Passar o Réveillon em Balneário Camboriú pode custar tão caro quanto em Paris ou Nova York

Colunistas