nsc
hora_de_sc

Sequência de atrasos

Contorno Viário de Florianópolis: começa escavação do Túnel 1; novo prazo de entrega é em 2023

Trabalhadores precisam de 18 meses para abrir os oito túneis e mais 12 meses para finalizar o trajeto

04/06/2021 - 06h00 - Atualizada em: 04/06/2021 - 06h59

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Túnel 1 do Contorno Viário começa a ser escavado em Palhoça
Túnel 1 do Contorno Viário começa a ser escavado em Palhoça
(Foto: )

O início das escavações subterrâneas do primeiro dos quatro túneis que fazem parte do trajeto do Contorno Viário de Florianópolis marca uma boa fase obra, que teve o início autorizado em 2008. Com a entrega atrasada em 9 anos e diversas vezes adiada, a expectativa é para a finalização total do trajeto apenas em dezembro de 2023, segundo a concessionária Arteris Litoral Sul.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Ao todo, o trajeto de 50 quilômetros, que promete desafogar o trânsito da Grande Florianópolis, tem quatro túneis duplos, o que representa, na prática, oito túneis, já que as estruturas são construídas de forma independente. Somando os oito túneis são quase sete quilômetros de escavações. 

A obra precisa dar conta de construir quatro túneis no sentido Norte-Sul e mais quatro com duas pistas para quem trafega no sentido inverso. Nos próximos meses eles estarão sendo escavados de forma simultânea.

Trecho Sul do Túnel 2 sendo preparado para início da escavação subterrânea
Trecho Sul do Túnel 2 sendo preparado para início da escavação subterrânea
(Foto: )

O túnel 1, que tem 980 metros, é o único que está passando pela fase de escavações subterrâneas. Os demais estão nos serviços de terraplenagem e contenção dos taludes dos emboques, para que sejam montados os túneis falsos que irão permitir as escavações.

Segundo Marcelo Módolo, superintendente de investimentos do Contorno Viário de Florianópolis, duas equipes trabalham em cada um dos túneis. Os trabalhadores avançam em lados opostos e daqui a 18 meses devem se encontrar no meio do túnel, quando ele estiver completamente aberto.

O avanço é lento e o trabalho é minunscioso para manter a segurança de todos. Os funcionários escavam cerca de um metro a cada dia, nessa fase da obra. A evolução da escavação depende do tipo de rocha e solo. No íncio do morro, como a pedra ainda não é consistente, é necessário fazer uma escavação controlada e com tratamento e sustentação no teto do túnel a cada um metro, aproximadamente. 

— À medida que o terreno vai melhorando, as equipes conseguem avançar de forma mais rápida porque o processo de execução muda. Quando chegarmos nas rochas mais consistentes, será possível fazer o carregamento de explosivo e detonação, trabalhando de forma mais rápida entre a pista sul e norte — explica Marcelo Módulo.

> Contorno viário da Grande Florianópolis: é preciso aprender para não repetir o erro

Ao todo, 2,7 mil pessoas trabalham diretamente nas obras, sendo 1,5 mil no trecho da Palhoça, que engloba três dos quatro túneis. O trabalho não envolve apenas a construção dos quatro túneis duplos, mas também a elaboração total de um corredor expresso de 50 quilômetros, com pista dupla, seis acessos por trevos, quatro túneis duplos, sete pontes e mais de 20 passagens em desnível.

A obra

Assinada em 2008, a obra do Contorno Viário de Florianópolis tinha como primeiro prazo o ano de 2012. Desde então, a construção acumula atrasos atrás de atrasos. Em 2013, foi sacramentado o novo trajeto do contorno, por trás de onde hoje é a Pedra Branca. 

A partir daí foi preciso começar a obra do zero, com elaboração do projeto e licenciamento ambiental. Na construção inicial não havia nenhum túnel previsto, porém com o novo caminho foi preciso projetar três túneis em Palhoça e mais um na divisa de São José e Biguaçu devido a um impasse ambiental que exigiu uma segunda alternativa e a construção do túnel 4.

Trecho Intermediário do Contorno Viário em Palhoça em abril
Trecho Intermediário do Contorno Viário em Palhoça em abril
(Foto: )

> Trânsito na BR-101 em Palhoça tem nova mudança com reforma em ponte

A mudança gerou um incremento no custo da obra, que passou de R$ 2,7 bilhões para R$ 3,7 bilhões. A consequência foi o aumento do pedágio nas cinco praças administradas pela Arteris Litoral Sul. O valor passou de R$ 3 para R$ 3,90 em 2020 nos pedágios de São José dos Pinhais, no Paraná, e nas quatro cidades de SC: Garuva, Araquari, Porto Belo e Palhoça.

No dia 11 de janeiro de 2021, uma nova etapa da obra começou com a assinatura da ordem de serviço com duas construtoras. O prazo firmado com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) estabelece três anos a partir do início das obras do trecho sul. Dessa forma, o Contorno Viário da Grande Florianópolis deve ser concluído no máximo em janeiro de 2024. O superintendente de investimentos afirma, porém, que os trabalhos estão sendo feitos para que a obra seja entregue em dezembro de 2023.

> Construção civil de Florianópolis tem em quatro meses 50% do total de projetos de 2020 , diz secretário

O Contorno

A ideia é que o Contorno Viário da Grande Florianópolis permita que o tráfego de longa distância não precise cruzar áreas urbanas da região metropolitana de Florianópolis. A obra foi pensada devido ao crescimento da região e os frequentes engarrafamentos das rodovias.

Estima-se que o Contorno fará um desvio de 18 mil veículos pesados da BR-101. O ganho no tempo de viagem é de 1h22min em horário de pico, com o trajeto de 50 quilômetros de todo o contorno durando cerca de 40 minutos, segundo a Arteris Litoral Sul.

Leia também

Professora de SC fez desabafo antes de morrer de Covid: "Medo"

Ação milionária de quase 30 anos chega ao fim na Justiça

Vacinação da Covid por idade vai começar em SC; serão 8 grupos

Colunistas