nsc
santa

Pandemia

Blumenau vai fechar shoppings, comércio de rua, bares, restaurantes e academias por sete dias

Anúncio de medidas mais rígidas para frear o coronavírus foi feito na manhã desta segunda-feira (20)

20/07/2020 - 09h57 - Atualizada em: 21/07/2020 - 15h11

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Estabelecimentos vão fechar por uma semana a partir desta terça-feira (20).
Estabelecimentos vão fechar por uma semana a partir desta terça-feira (20).
(Foto: )

A prefeitura de Blumenau anunciou nesta segunda-feira (20) restrições mais rígidas para frear o avanço do novo coronavírus. A partir desta terça-feira (21) não poderão abrir na cidade shoppings, galerias, comércio de rua, salões de beleza e barbearias. O decreto é válido por sete dias, podendo ser prorrogado por mais uma semana. Como o Santa já havia antecipado, bares, restaurantes, food parks, lanchonetes, adegas, tabacarias e similares também não poderão funcionar durante esse período. Ficam permitidos apenas os serviços de entrega — em formato delivery.

​​> Quer receber notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do Santa

Outro segmento atingido por esse novo decreto são as academias e clubes sociais, que também terão de fechar as portas por sete dias em Blumenau. Quanto ao comércio, as exceções são as lojas de material de construção e os chamados serviços essenciais, como supermercados, padarias, farmácias, conveniências, agropecuárias e postos de combustíveis.

> Farmácias de Blumenau fazem teste rápido para coronavírus; confira quais

Os mercados, inicialmente, iriam funcionar apenas de segunda a sábado. Os supermercadistas, então, pressionaram o município e chegaram a ameaçar acionar a Justiça. Por conta disso, a prefeitura recuou e liberou o funcionamento nos sete dias da semana. Todos esses comércios precisarão respeitar o limite de 40% da capacidade estabelecida pelo Corpo de Bombeiros. 

A atividade industrial e as obras públicas e privadas poderão ser mantidas sem restrição de pessoal, porém deverão seguir rigorosamente as medidas de distanciamento, higienização e uso de equipamentos de proteção individual — como máscaras. Fica suspensa a entrada de novos hóspedes em hotéis, motéis e outros serviços de hotelaria — como pousadas, por exemplo.

> Opinião de Pedro Machado: "Considerar que um novo lockdown é uma possibilidade não é defendê-lo, mas sim olhar para a realidade"

> Opinião de Evandro de Assis: "Blumenau sofre um choque de realidade com hospitais lotados e nova quarentena"

Confira as novas restrições em Blumenau

Decreto válido por 7 dias, a partir de 21 de julho:

Está permitido o funcionamento de loja de materiais de construção, de segunda a sábado;

Está permitido apenas o comércio de serviços essenciais, como farmácias, mercados, mercearias, agropecuárias, bancos e postos de combustíveis;

Supermercados deverão atender de segunda a sábado, suspendendo atendimento ao público no domingo. Fica estabelecida a limitação de entrada em 40% da capacidade;

Fica suspensa a entrada de novos hóspedes em hotéis, motéis e serviços de hotelaria em geral;

Ficam suspensas, por 7 dias, atividades em academias e clubes sociais;

Ficam suspensas, por 7 dias, atividades em restaurantes, lanchonetes, food parks, bares, tabacarias, adegas e similares. Esses estabelecimentos poderão operar com sistemas de entrega (delivery);

Fica suspenso, por 7 dias, atendimento em shoppings centers, centros comerciais e galerias;

Fica suspenso, por 7 dias, atendimento em salões de beleza, cabeleireiros e barbearias;

Fica suspenso, por 7 dias, o comércio de rua em Blumenau;

Ficam suspensos por 14 dias, a partir de 20 de julho:

Os serviços de transporte público municipal e intermunicipal;

Circulação de veículos de fretamento com passageiros, exceto aqueles autorizados pelo Seterb;

Circulação de pessoas idosas ou integrantes dos grupos de risco para o novo coronavírus, exceto para atividades essenciais (compras, farmácia, médico);

Festas em residências com pessoas que não moram na casa;

Aglomerações de pessoas em qualquer ambiente, público ou privado, tanto ao ar livre como em ambientes internos;

Permanência de pessoas e a prática esportiva e cultural coletiva, amadora, ou profissional em espaço público e privado;

Consumo de bebidas alcoólicas no interior e arredores das lojas de conveniências situadas nos postos de combustíveis;

Atividades em cinemas, teatros, museus e casas noturnas;

Realização de eventos, shows e espetáculos que acarretam reunião de público.

Veja o vídeo sobre as novas restrições

Colunistas