nsc
dc

Mutações

Delta Plus: o que se sabe sobre a nova mutação da variante Delta do coronavírus

Casos foram confirmados no Reino Unido, Israel, Estados Unidos e Dinamarca

22/10/2021 - 17h56

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Originalmente, a Delta Plus recebeu o nome de “variante de Nepal”
Originalmente, a Delta Plus recebeu o nome de “variante de Nepal”
(Foto: )

Uma nova variante, sublinhagem da variante Delta, preocupa os especialistas. Nesta semana, o Reino Unido afirmou que dos casos ativos no país, 6% são vítimas da nova mutação do coronavírus, chamada de Delta Plus. Segundo a Agência de Segurança Sanitária do Reino Unido, a sublinhagem da Delta foi detectada em Israel, nos Estados Unidos e na Dinamarca, porém, em menor quantidade. As informações são do jornal O Globo.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

> Variante Delta: tudo o que se sabe sobre a cepa da Covid

A Delta Plus pode vir a ser cerca de 10% mais transmissível do que a Delta original, de acordo com o diretor do Instituto de Genética da University College of London, no Reino Unido, Francois Balloux. Mesmo com essas condições, ainda não é possível associar a nova mutação ao aumento de contaminação, segundo os especialistas. O fim das medidas restritivas propiciam o avanço do vírus.

Outra preocupação em relação à Delta Plus é o fato de ela conseguir escapar dos anticorpos produzidos pelas vacinas. Segundo o geneticista e diretor do Laboratório Genetika, Salmo Raskin, apesar de os imunizantes terem sido criados para combater a variante original da Covid, eles têm se mostrado eficazes contra variantes. Porém, ainda é necessário fazer estudos para entender a Delta Plus.

> O que são as variantes do coronavírus e como elas impactam Santa Catarina

> As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

— Por ser uma sublinhagem da Delta, espera-se que a vacina continue eficaz contra a nova mutação. No entanto, a Delta já é a variante que mais consegue escapar dos anticorpos, o que pode diminuir a eficácia da vacina, então não deixa de ser uma preocupação — afirma Raskin.

As mutações dos vírus são naturais e fazem parte do seu processo evolutivo, conforme explica o especialista. Algumas, segundo Raskin, se tornam mais transmissíveis do que outras. Por esse motivo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divide as variantes em classificações. Alfa, Beta, Gama e Delta são variantes de preocupação e precisam de monitoramento, explica o geneticista.

Leia também

Efeitos colaterais da AstraZeneca; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Efeitos colaterais da Janssen; veja as reações mais relatadas

Efeitos colaterais da CoronaVac; veja as reações mais relatadas

Colunistas