nsc
dc

Política

Estagiária de ministro do STF era informante de blogueiro bolsonarista

Informação foi confirmada através de mensagens trocadas por Tatiana Garcia Bressan, ex-estagiária, e Allan do Santos, influencer investigado

06/10/2021 - 14h42 - Atualizada em: 06/10/2021 - 14h49

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
A informante do blogueiro era estagiária no gabinete de Lewandowski
A informante do blogueiro era estagiária no gabinete de Lewandowski
(Foto: )

Mensagens coletadas pela Polícia Federal (PF), durante investigação contra o blogueiro bolsonarista Allan Dos Santos, revelam que a ex-estagiária do ministro Ricardo Lewandowski era usada como informante do influencer. O documento traz diálogos entre o blogueiro e Tatiana Garcia Bressan, de 45 anos, que estagiou no gabinete de Lewandowski de 2017 a 2019. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

As conversas começaram em outubro de 2018 e se estendem até março de 2020. Tatiana, na época, recebia cerca de R$1.207,00 mensais. Em uma primeira conversa, Tatiana entra em contato com Allan demonstrando interesse em trabalhar no gabinete da deputada bolsonarista Bia Kicis.

Allan, neste momento, pede para que ela seja sua informante e a estagiária responde prontamente: "Será uma honra. Estou lá kkk". 

Durante as mensagens, Tatiana relata ainda ter dificuldade em trabalhar com o ministro e o blogueiro a questiona sobre o que de mais espantoso existe no local. 

- Eles realmente decidem o que querem e como querem. Algumas decisões são modificadas quando alguém importante liga pro ministro - responde ela em mensagem.

> Bolsonaro se irrita com motociata em Florianópolis: "Não foi batido o martelo"

> PF prende novamente blogueiro bolsonarista por burlar decisão do STF

No dia da conversa, a estagiária ainda comenta sobre a espera " do soldado e o cabo para fechar o STF", fazendo referência a uma fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro em julho de 2018, sobre uma possível ação do Exército se o presidente Jair Bolsonaro fosse impedido de assumir o posto por alguma decisão do Supremo.

- Agora temos um general na presidência! Inclusive, Toffoli [ministro Dias Toffoli, então presidente do STF] nem fala mais em ditadura de 64. Fala em 'movimento de 64 - diz Tatiana.

Liberdade de Lula

A estagiária diz ainda, durante o diálogo, que Lewandowski soltaria o ex-presidente Lula.

- Tem uma coisa Allan, mas acho q vc ja sabe... tenho pra mim q quem soltará o Lula será o Lewandowski porque com a última decisão nos autos da reclamação que a defesa ajuizou em nome do próprio lula, pedindo que ele pudesse conceder entrevista p/ quem quisesse)..... como esse decisão foi a primeira envolvendo a execução da pena do lula, tornou o Lewa prevento para futuras decisões envolvendo a execução da pena dele - escreveu.

Redes sociais da estagiária

Tatiana criou uma rede social oculta para fazer postagens a favor de Bolsonaro e ataques contra a corte e o ministro. Lewandowski a havia proibido de fazer publicações políticas em seu perfil pessoal.

> Entenda as regras para a liberação da pista de dança em festas de Santa Catarina

No dia 17 de novembro de 2019, quando já não era mais estagiária, Tatiana divulgou uma foto em favor de Bolsonaro e pediu a saída do ministro Gilmar Mendes.

Referente aos protestos de 7 de Setembro deste ano, Tatiana publicou uma foto de um homem segurando um cartaz em inglês: "Os verdadeiros ditadores estão no Supremo Tribunal Federal".

Alguns dias antes, outra postagem critica o STF o descreve como "O único tribunal do mundo que entende de: medicina, economia, vacina, eleições, etc... Só não entende de justiça".

Contraponto

Tatiana negou ter sido informante de Allan e disse que entrou em contato com o blogueiro porque queria um emprego com a deputada federal Bia Kicis. A assessoria da deputada, no entanto, afirmou não conhecer Tatiana.

> Venda de osso de boi deve ser incentivada, defende associação dos frigoríficos de SC

- Eu era estagiária e não tinha acesso a relatórios finais de decisões, mas a gente ouve coisas nos bastidores e não sei como falei com ele. Não tenho print das conversas - se posicionou Tatiana.

O blogueiro foi questionado, mas não respondeu sobre o acontecido. 

O gabinete do ministro Lewandowski, no entanto, afirmou que todas as decisões proferidas por ele "têm fundamentação constitucional e a eventual modificação delas ocorre por meio de recursos cabíveis, apresentados nos autos e julgados individual ou coletivamente (plenário ou turmas)".

Leia também

Quase uma tonelada de alimentos vencidos e com fungo é encontrada em mercados em SC

Luciano Hang processa senadores da CPI da Covid

Escolas estaduais de SC abrem período para matrículas; saiba as datas

Colunistas