nsc
hora_de_sc

Fundo do mar

Garoupa-gigante: animal de tamanho assustador vive nas profundezas dos mares

Peixe que habita cavernas e tocas, a animal pode pesar até meia tonelada e medir de 3 a 4 metros de comprimento

02/12/2021 - 08h10

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
A garoupa-gigante tem grande importância para a pesca e algumas espécies são criadas em cativeiro
A garoupa-gigante tem grande importância para a pesca e algumas espécies são criadas em cativeiro
(Foto: )

Não é à toa que recebe o nome de garoupa-gigante. Esse peixe pode alcançar mais de 500 quilos de peso e medir 2 metros de comprimento. Sem dúvida, um animal aquático de peso.

> Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Corpo gordo, cabeça grande com relevos e espinhas, boca proeminente e o pedúnculo da nadadeira caudal curto e grosso. A garoupa-gigante é da espécie Epinephelus lanceolatus, família Serranidae, e habita os recifes australianos.

Existem relatos de mergulhadores profissionais dando conta que as garoupas podem ser ainda maiores. Durante as suas incursões ao mundo subaquático australiano, eles admitem terem visto esta espécie atingindo até 800 quilos e cerca de 3 a 4 metros de comprimento nestes mares.

A certeza é que a garoupa-gigante é um predador ativo que se alimenta de peixes, lagostas, camarões, ouriços, moluscos e lulas. Em razão da carne saborosa e macia, as estes peixes muito apreciados na culinária. Têm grande importância para a pesca e algumas espécies são, inclusive, criadas em cativeiro nas zonas costeiras.

Além da sua robustez e sua força, os olhos da garoupa-gigante chamam a atenção. Ao contrário da maioria dos peixes, seus olhos são extremamente expressivos. E provocam aquela sensação de dúvida sobre quem observa quem, no observador humano.

No Brasil, outras espécies similares também são chamadas de garoupa: Epinephelus guttatus, Epinephelus morio e Epinephelus striatus. Entenda:

A primeira é chamada popularmente de Garoupa Pintada e possui como principal característica a sua coloração que varia entre o verde e o marrom. Esse peixe pode chegar a medir 75 cm e pesar 25 kg.

A segunda espécie é chamada de Garoupa São Tomé e tem um corpo bastante robusto, além de uma nadadeira caudal que se encontra truncada nos indivíduos mais jovens. Nesta espécie o segundo espinho da nadadeira é maior que os demais. Pode medir até 80 cm e chega a pesar em torno de 20 kg.

A última espécie de garoupa é conhecida como Garoupa da Trindade e se parece muito com a espécie anterior, exceto pelo fato de que é o terceiro espinho da nadadeira que é maior.

> 10 animais curiosos e estranhos do fundo do mar

Onde vive a garoupa-gigante

A garoupa-gigante é um animal solitário, prefere viver em fundos rochosos, em que há uma abundância de cavernas e cavidades. É nestes espaços que elas podem encontrar abrigos para se esconder e caçar suas presas, que são em sua maioria peixes menores.

Peixes típicos de águas tropicais e subtropicais, as garoupas podem ser encontradas tanto em mares, quanto em oceanos. Podem, ainda, estar presentes no Atlântico Leste, Sudoeste e Oceano Índico Ocidental.

Como Atlântico Leste menciona-se locais como o Mar Mediterrâneo, bem como desde o sul do Golfo da Biscaia até o extremo sul da África. Há também alguns registros da presença delas nas Ilhas Britânicas e no Canal da Mancha oriental.

As espécies do Atlântico Sudoeste ficam principalmente na Argentina, Uruguai e Brasil. O Oceano Índico Ocidental, especificamente na África até o sul de Moçambique e o sul de Madagascar, também são boas regiões para garoupas.

Preferencialmente, a garoupa-gigante habita fundos rochosos, entre 3 e 200 metros de profundidade, mas também pode ser encontrada em até 300 metros. Vale citar que os peixes adultos ficam próximo do fundo, enquanto os mais jovens preferem nadar na costa.

Em relação à presença da garoupa-gigante nos mares e oceanos, a notícia não é muito animadora. Cientistas alertam que as matrizes mais importantes de 90% das maiores espécies de peixe, incluindo a garoupa gigante e justamente as mais capazes, já foram extintas. Mesmo assim, os exemplares que sobrevivem são mortos e retirados do mar.

> Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

Características da garoupa-gigante

A cabeça desta espécie é grande, com pequenos relevos e espinhos
A cabeça desta espécie é grande, com pequenos relevos e espinhos
(Foto: )

Uma característica marcante da garoupa-gigante é sua avantajada mandíbula, com lábios muito grossos. Para se ter uma ideia, a mandíbula inferior da garoupa sempre se projeta da mandíbula superior. O corpo é atarracado, com uma cabeça larga, barbatanas caudal, anal, peitoral grandes e lobulares, o que lhe permite fazer movimentos bem rápidos.

A cabeça é grande, com pequenos relevos e espinhos. A garoupa possui pequenas escamas distribuídas ao longo do corpo. As cores podem variar. Porém, geralmente, tem uma tonalidade parda e avermelhada. Ou marrom-escura, com manchas em tons de verde nas laterais, que dão a impressão de haver faixas no mesmo sentido.

Seu ventre é mais amarelado e as nadadeiras são escuras. Nas extremidades são mais claras e em formato arredondado. Normalmente, ​​as garoupas jovens têm a cor verde e os adultos são marrons.

> Relembre sucuri gigante já vista em Santa Catarina

A maior garoupa já pescada

Uma garoupa-gigante, com 192 quilos, foi capturada perto das Seychelles, no oceano Índico, em 13 de dezembro de 2016. A data é histórica, pois tratava-se da maior garoupa já pescada no mundo.

Em razão do seu gigantismo, foram necessários 7 homens para trazer a garoupa a bordo. Esta garoupa-gigante foi levada para os atacadistas de peixes Hodgkinsons e comprada por £ 1000 euros pela Direct Fisheries.

Curiosidades sobre a garoupa-gigante

As garoupas são hermafroditas, possuindo órgãos sexuais masculino e feminino. No entanto, apenas um dos tipos se encontram ativos em um determinado momento.

No primeiro estágio de maturação sexual, os peixes são fêmeas e, mais tarde, tornam-se machos. Com aproximadamente 5 anos de idade e cerca de 50 centímetros, a garoupa atinge sua maturidade sexual.

Ao atingir os 90 centímetros, o sexo pode passar a ser masculino aos 15 anos de idade.

Cabe mencionar que a garoupa fêmea só vai se transformar em macho se houver uma pressão populacional no seu entorno. E se não houver garoupas juvenis por perto, ela pode nunca vir a se tornar um macho.

As garoupas produzem grandes quantidades de ovos planctônicos, e durante a metamorfose para juvenis têm de encontrar um local seguro e adequado para depositar seus ovos.

> Cobra urutu-cruzeiro gera medo pelo poder do veneno; o que fazer se for picado

Tempo de vida da garoupa

A expectativa de vida desse peixe é de aproximadamente 60 anos, apesar de a maioria alcançar somente 50 anos.

Vale mencionar que em 2020, um pescador norte-americano fisgou uma garoupa-gigante de 50 anos de idade e 158 quilos. Esse exemplar é considerado a mais velha já capturada por um programa de pesquisa do estado da Flórida, nos Estados Unidos.

Pode comer carne de garoupa?

A carne da garoupa não é valorizada apenas por seu sabor, textura e cor, mas por seus valores nutricionais. É fato que são peixes ricos em gorduras ômega 3 e colesterol, que podem ajudar a prevenir certas doenças cardíacas.

A garoupa também é rica em proteínas, embora tenham baixo teor de carboidratos. Para coroar seu valor nutricional, ela apresenta uma boa quantidade e variedade de vitaminas, principalmente as do grupo B.

> Leão-baio é perigoso? Conheça espécie vista na Serra Catarinense

Do que se alimenta a garoupa

Essa espécie se alimenta de camarões, ouriços, moluscos, lagostas e lulas, entre outros. Trata-se de um peixe essencialmente carnívoro em sua alimentação e que pode ter a sua base alimentar variada conforme o tamanho do indivíduo. As garoupas mais jovens demonstram predileção por animais invertebrados em seu cardápio.

Já os peixes que têm entre dois e três anos preferem animais como caranguejos e siris, outros peixes ficam para quando não se tem opção. A preferência por moluscos aparece nos indivíduos com mais de três anos. Nessa fase da vida, a espécie tende a se alimentar mais de cefalópodos e peixes.

Garoupa no litoral brasileiro

A garoupa encontrada no litoral do Brasil não é a gigante. A que vive por aqui está geralmente nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste
A garoupa encontrada no litoral do Brasil não é a gigante. A que vive por aqui está geralmente nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste
(Foto: )

A espécie encontrada no litoral do Brasil não é a garoupa-gigante. A que vive por aqui está geralmente nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil. O tamanho do corpo, cabeça e boca é grande, conta ainda com um pedúnculo na sua nadadeira caudal. Pode chegar a medir mais de 1,5 metro e pesar em torno de 60 quilos.

> Crocodilo gigante já foi visto em Santa Catarina? Descubra

Garoupa na cédula de 100 reais

Outra curiosidade diz respeito à representação de uma garoupa no verso da cédula brasileira de 100 reais. Trata-se de uma garoupa da espécie Epinephelus marginatus. Ela possui corpo com a coloração parda avermelhada, com a presença de manchas esverdeadas nos flancos, formando faixas verticais. Já o seu ventre possui tons amarelados e suas nadadeiras são arredondadas e escuras com margem clara.

Luta contra a extinção

A espécie que recebe o nome de garoupa verdadeira, a Mycteroperca marginata, foi incluída na lista de espécies ameaçadas de extinção pela União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN).

Esse sinal de alerta fez com que fosse criado em Ilhabela, São Paulo, o Projeto Garoupa. A ideia central é promover a larvicultura, processo que consiste em criar larvas de uma espécie, nesse caso a garoupa, em cativeiro.

O objetivo é usar a estrutura dos tanques e da tecnologia para promover a reprodução da espécie. O ambiente criado é especialmente pensado para que as larvas se desenvolvam com saúde e com a possibilidade real de se reproduzir. A boa notícia é que já são totalizadas mais de 1 milhão de desovas, com eclosão em cerca de 95% dos casos.

No entanto, em torno de 10% apenas conseguem sobreviver dessas desovas. Mesmo assim, os cientistas são otimistas em relação a ter melhores resultados no futuro. Afinal, o Projeto Garoupa é o primeiro do mundo a promover a reprodução dessa espécie de peixes em cativeiro.

Animais que podem desaparecer do Brasil 

Leia também

Cobra píton amarela é venenosa? Descubra tudo sobre a espécie

Cobra venenosa é encontrada dentro de carro em Jaraguá do Sul; veja o vídeo

Jacaré invade campo de futebol, dá susto nos jogadores e interrompe treino; veja vídeo

Colunistas