nsc
    dc

    Pandemia

    Governo pede mais fiscalização e apela a ‘bom senso’ contra aglomerações em SC

    Secretaria de Saúde diz que vai aumentar a fiscalização e vigilância de todos os regramentos e portarias, e que prepara campanha de conscientização

    16/10/2020 - 09h51 - Atualizada em: 16/10/2020 - 09h54

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Reunião Coes coronavírus em SC
    Coes e entidades discutiram formas de prevenir aglomerações irresponsáveis no Estado
    (Foto: )

    Após as cenas de aglomeração em praias, ruas e casas noturnas registradas no último fim de semana, o Governo de Santa Catarina pediu que as forças de segurança intensifiquem as ações de fiscalização nas cidades. O governo também tem feito apelos à população para que respeite o distanciamento e promete investir em campanhas de conscientização.

    > Entenda o que está liberado e proibido em cada região de SC conforme o mapa de risco de coronavírus

    Nesta semana, a reunião do Centro de Operações de Emergência em Urgência (Coes) debateu medidas legais cabíveis e maneiras mais rígidas para lidar com aglomerações imprudentes. Participaram da reunião conselhos estaduais, federações e representantes de todas as associações e instituições de Santa Catarina. No entanto, não foram divulgadas ações concretas.

    Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), houve um apelo às forças de segurança, entre as quais Polícia Militar e guardas municipais, para que reforcem as ações para combater as aglomerações.

    O secretário da pasta, André Motta Ribeiro, declarou, após o encontro, que o governo vai “aumentar a fiscalização e vigilância de todos os regramentos e portarias construídas, junto aos gestores municipais”, além de reforçar “a necessidade de entendimento da sociedade quanto ao momento que passamos”.

    — Estamos estruturando algumas campanhas de conscientização, pois em qualquer cenário é preciso que o povo catarinense faça também sua parte —completou Motta Ribeiro.

    > Quer receber notícias da sua cidade por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    Dentro da secretaria, a preocupação é que o desrespeito às regras de distanciamento acarrete em um aumento ainda maior de casos de coronavírus no Estado. A chegada do verão, com a procura de turistas pelas praias catarinenses, é fator de alerta. Apenas nesta quinta-feira (15), Santa Catarina registrou 1,5 mil novos casos de Covid-19. Entre infectados pelo vírus e ainda em tratamento, há 7.501 pacientes.

    No entanto, o apelo por mais fiscalização esbarra nas dificuldades enfrentadas pela Polícia Militar para conciliar atendimentos de rotina às ações de combate à Covid-19. No feriadão de 12 de outubro, após registros de aglomeração na Praia do Rosa, em Imbituba, a prefeitura da cidade chegou a reconhecer que mesmo com o reforço no efetivo da Polícia Militar e com os fiscais municipais de prontidão, o número de pessoas envolvidas na operação era insuficiente para evitar as aglomerações.

    O subcomandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina, Marcelo Pontes, afirma que o trabalho de fiscalização das medidas sanitárias ocorre “dentro do possível”, já que a ação dos policiais continua também voltada a ações de rotina.

    > Governo prorroga decreto de calamidade pública por coronavírus em Santa Catarina

    —A fiscalização em relação à Covid-19 é mais uma atribuição da PM, que desenvolve dentro do possível, conforme o andamento das ocorrências. Não há como priorizar uma coisa ou outra — comenta.

    Ele destaca que as ações da PM voltadas à pandemia já duram 213 dias, com mais de 250 mil fiscalizações realizadas e 8,9 mil ocorrências atendidas relacionadas a denúncias. Foram 2,1 mil termos circunstanciados lavrados e 2 mil infrações de medidas sanitárias constadas até o momento.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas