O blumenauense e jogador de futsal Jonatan Bruno Santiago, de 30 anos, contou nas redes sociais que foi abandonado pelo grupo brasileiro do clube de futebol Shakhtar Donetsk. Ao g1 SC, ele relatou que se reuniu com os atletas na sexta-feira (25) para fugir do país. Porém, o catarinense disse que foi esquecido e os brasileiros saíram de Kiev, capital da Ucrânia, neste sábado.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

— Ficou eu, um jogador e mais um brasileiro. Só ficou a comissão técnica deles, que são todos italianos. Foi todo mundo embora. A gente estava o tempo todo junto, e eles simplesmente esqueceram da gente e foram embora — relatou.

Os ataques do exército russo começaram na quinta-feira (24). O catarinense vive em Kiev e falou sobre a escassez de comida e o medo vivido por quem está na capital.

— Hoje (26) almoçamos às 13h30 e depois subimos para o quarto para tomar um banho. E quando a gente desceu, às 16h30, simplesmente não tinha mais ninguém — disse.

Continua depois da publicidade

Jonatan é de Blumenau, no Vale do Itajaí, mas há cerca de nove anos mora na Europa. Atualmente, o catarinense joga pelo Skyup Kiev, time de futsal. De acordo com o jogador, ele chegou a mandar mensagem para um atleta que foi com o grupo para Moldávia ao perceber que tinha sido deixado para trás. 

— Ele falou: “pô, tu não está aqui?”. A minha mala estava lá embaixo, passamos o dia inteiro ontem com eles e ninguém pensou em nos chamar? — questionou.

> Entenda os motivos da guerra entre Rússia e Ucrânia

> Três crianças estão entre os 198 mortos durante ataques da Rússia, diz Ucrânia

Ao grupo de cerca de 40 pessoas, incluindo crianças, o jogador desejou sorte mesmo com a separação. Segundo ele, a tensão aumentou com a chegada da noite, quando os bombardeios podem piorar. 

— Hoje é um dia definitivo da guerra aqui, a gente está bastante assustado e espero que logo a gente saia também desta loucura — desabafou.

Continua depois da publicidade

> Família ucraniana que morou em SC tenta deixar o país: “Não conseguimos dormir”

Veja fotos da Ucrânia após os ataques

Homem usa tapete para cobrir o corpo de uma vítima de bombas russas
Homem usa tapete para cobrir o corpo de uma vítima de bombas russas – (Foto: Aris Messinis / AFP)
Explosão em Kiev, capital da Ucrânia.
Explosão em Kiev, capital da Ucrânia. – (Foto: Gabinete do Presidente da Ucrânia / Divulgação)
O corpo de um foguete preso em um apartamento após recente bombardeio nos arredores do norte de Kharkiv em 24 de fevereiro de 2022.
O corpo de um foguete preso em um apartamento após recente bombardeio nos arredores do norte de Kharkiv em 24 de fevereiro de 2022. – (Foto: Sergey Bobok / AFP)
Bombeiros trabalham em um incêndio em um prédio após bombardeios na cidade de Chuguiv, no leste da Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022, enquanto as forças armadas russas tentam invadir a Ucrânia de várias direções, usando sistemas de foguetes e helicópteros para atacar a posição ucraniana no sul, segundo o serviço de guarda de fronteira.
Bombeiros trabalham em um incêndio em um prédio após bombardeios na cidade de Chuguiv, no leste da Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022, enquanto as forças armadas russas tentam invadir a Ucrânia de várias direções, usando sistemas de foguetes e helicópteros para atacar a posição ucraniana no sul, segundo o serviço de guarda de fronteira. – (Foto: Aris Messinis / AFP)
Fumaça preta sobe de um aeroporto militar em Chuhuiv, perto de Kharkiv, em 24 de fevereiro de 2022.
Fumaça preta sobe de um aeroporto militar em Chuhuiv, perto de Kharkiv, em 24 de fevereiro de 2022. – (Foto: Aris Messinis / AFP)
Pessoas ficam do lado de fora de um prédio destruído após bombardeios na cidade de Chuguiv, no leste da Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022, enquanto as forças armadas russas tentam invadir a Ucrânia de várias direções, usando sistemas de foguetes e helicópteros para atacar a posição ucraniana no sul, o guarda de fronteira serviço disse. As forças terrestres da Rússia na quinta-feira cruzaram para a Ucrânia de várias direções.
Pessoas ficam do lado de fora de um prédio destruído após bombardeios na cidade de Chuguiv, no leste da Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022, enquanto as forças armadas russas tentam invadir a Ucrânia de várias direções, usando sistemas de foguetes e helicópteros para atacar a posição ucraniana no sul, o guarda de fronteira serviço disse. As forças terrestres da Rússia na quinta-feira cruzaram para a Ucrânia de várias direções. – (Foto: Aris Messinis / AFP)
Pessoas, algumas carregando sacolas e malas, caminham em uma estação de metrô em Kiev no início de 24 de fevereiro de 2022.
Pessoas, algumas carregando sacolas e malas, caminham em uma estação de metrô em Kiev no início de 24 de fevereiro de 2022. – (Foto: Daniel Leal / AFP)
Um militar ucraniano vigia uma posição na linha de frente com separatistas apoiados pela Rússia perto da cidade de Schastia, perto da cidade de Lugansk, no leste da Ucrânia, em 23 de fevereiro de 2022.
Um militar ucraniano vigia uma posição na linha de frente com separatistas apoiados pela Rússia perto da cidade de Schastia, perto da cidade de Lugansk, no leste da Ucrânia, em 23 de fevereiro de 2022. – (Foto: Anatolii Stepanov / AFP)
Equipes de resgate trabalham no local do acidente da aeronave Antonov das Forças Armadas da Ucrânia na região de Kiev
Equipes de resgate trabalham no local do acidente da aeronave Antonov das Forças Armadas da Ucrânia na região de Kiev – (Foto: Press service of the Ukrainian State Emergency)
Militares ucranianos se preparam para repelir um ataque na região de Lugansk, na Ucrânia
Militares ucranianos se preparam para repelir um ataque na região de Lugansk, na Ucrânia – (Foto: Anatolii Stepanov/AFP)

Leia também

Rússia proíbe mídia independente chamar guerra na Ucrânia de guerra

Invasão da Rússia na Ucrânia vai afetar negócios com empresas de Santa Catarina

Ucraniana relata desespero da família com ataque na Ucrânia: “A guerra começou”

Destaques do NSC Total