A vida é feita de escolhas. Dentro de um ano, os eleitores catarinenses irão às urnas para exercer o direito mais nobre da democracia: votar. Cada um dos catarinenses têm nas mãos o poder de escolher quem deseja ter como representantes nas prefeituras e câmaras de vereadores de cada uma das 295 cidades do Estado nas eleições de 2024.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Serão estes, os eleitos pelo voto popular, que irão propor políticas públicas e gerir as cidades, atuando em todos os tipos de coisas que mexem com o nosso dia a dia: o valor do IPTU, os problemas com iluminação pública, falta de calçadas, buracos nas ruas, falta ou problema no recolhimento de lixo ou saneamento básico, entre outras. Isso faz com que o engajamento e a atenção dos eleitores nas eleições de 2024 seja maior.

Tavinni, 18 anos, e Iara Burghardt da Silva, 41 anos, já estão de olho. Filha e mãe já se mobilizam para a corrida eleitoral. Contam que têm conversas frequentes sobre a importância do voto e de como escolher os futuros candidatos nas eleições de 2024. Tavinni é estudante do ensino médio e irá pela primeira vez às urnas. Ciente da responsabilidade, diz que o assunto é recorrente também entre os grupos de amigos.

– Meu voto faz a diferença – diz ela.

Continua depois da publicidade

Justiça Eleitoral vai buscar eleitores que precisam regularizar situação para votar em 2024

Iara, por sua vez, reforça que vereadores e o prefeito tomam decisões que mexem diretamente com o cotidiano das pessoas, por isso procura se informar e estar sempre ligada no que acontece de olhos nas eleições de 2024:

– Lá em casa a gente fala muito, principalmente por causa dos filhos (são três ao todo). Da importância de ver o que cada candidato propõe, se tem como cumprir, tudo isso. Aí, cada um faz a sua escolha, a partir da sua opinião – diz ela, que administra um restaurante na região central de Blumenau ao lado do marido e dos filhos.

Eleições de 2024: Maior engajamento do eleitorado

Doutor em Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o professor Julian Borba cita a proximidade do eleitor com os candidatos como fator primordiais para o maior engajamento do eleitorado para as disputas municipais:

– Principalmente em termos de comparecimento. São cargos com ações diretas na vida cotidiana das pessoas, na rua, no bairro, na infraestrutura urbana da cidade – explica Borba.

Continua depois da publicidade

Leia outras notícias de Política

Questionado sobre o cenário de polarização Bolsonarismo x Lulismo, o especialista explica:

– A polarização deve continuar, é algo que não vai desaparecer tão rápido. Mas as eleições municipais têm uma dinâmica própria, que não necessariamente obedece somente à dimensão nacional. O eleitor está preocupado em questões muito específicas sobre o desempenho do prefeito e em questões concretas da sua cidade.

Leia também:

Projeto na Alesc propõe liberação de caça de espécie invasora em SC

Deputados organizam ala do “MDB bolsonarista” no Congresso

Governo de SC faz encontro em Brasília para aproximar universidades comunitárias de outros países

Prefeito de Ibirama é solto pela Justiça na operação Mensageiro

Destaques do NSC Total