nsc
    hora_de_sc

    Feminicídio

    Mulher assassinada pelo ex-companheiro em Florianópolis é identificada

    Tatiana Cardoso de Lima foi morta com sete tiros na tarde de segunda-feira (8)

    09/02/2021 - 09h05 - Atualizada em: 09/02/2021 - 16h19

    Compartilhe

    Catarina
    Por Catarina Duarte
    Por Caroline Borges
    Polícia Civil investiga o assassinato de Tatiana em Florianópolis
    Polícia Civil investiga o assassinato de Tatiana em Florianópolis
    (Foto: )

    A mulher assassinada com sete tiros pelo ex-companheiro na tarde de segunda-feira (8), em Florianópolis, foi identificada. Ela é Tatiana Cardoso de Lima, de 43 anos. O suspeito fugiu do local após o crime, mas acabou preso em Porto Belo cerca de três horas depois do crime. A Polícia Civil investiga o caso.

    > “Mulher espetacular, sempre feliz”, diz prima de vítima de feminicídio em Florianópolis

    O assassinato aconteceu na Avenida Engenheiro Max Schramm, no bairro Estreito, no fim da tarde de segunda. Segundo a Polícia Militar, a mulher foi até a revendedora onde o ex-companheiro, de 60 anos, trabalhava para cobrar um dinheiro. O casal estava separado. Houve uma discussão e em seguida os disparos. 

    > Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

    Ambulâncias do Samu e do Corpo de Bombeiros chegaram a ser acionadas, mas a vítima já estava morta quando os socorristas chegaram.Tatiana deixou três filhos, um deles, uma criança de seis anos.

    De acordo com a PM, o homem fugiu do local em um carro da revendedora onde trabalhava. Na fuga, o suspeito ainda parou na casa do irmão, em São José, onde escondeu a arma utilizada para matar a ex-mulher. O objeto foi localizado e apreendido.

    > Suspeito de causar acidente que matou jovem em Balneário Camboriú é identificado pela polícia

    O delegado Ênio Matos, que atendeu a ocorrência, disse que Tatiana não tinha medidas protetivas contra o ex-companheiro. O casal vinha enfrentando brigas constantes. A mais recente aconteceu no início do ano, contou Ênio.

    — Eles tinham um monte de confusão. Vinham brigando faz tempo, era coisa feia — afirmou. 

    Após a prisão, o inquérito que investiga a morte de Tatiana foi enviado para a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami). A reportagem tentou contato com o delegado responsável pelo caso, mas até as 9h30 não conseguiu retorno. 

    > Como a pandemia mudou o combate ao feminicídio e à violência doméstica em SC

    Segundo familiares da vítima, a motivação do crime seria o término do relacionamento do casal. Um vizinho, que preferiu não ser identificado, afirmou que após encontrar com o ex-companheiro, Tatiana iria buscar a filha na escola. Antes do encontro, a mulher passou na casa da avó e conversou com familiares e amigos. 

    O homem está preso no presídio de Tijucas e não há informações sobre a transferência dele para Florianópolis. 

    > MP investiga se Gean Loureiro cometeu improbidade por sexo na prefeitura

    Terceiro feminicídio de 2021

    A morte de Tatiana se soma aos dois feminicídios já registrados em SC em janeiro. Segundo o balanço da Secretaria de Segurança Pública (SSP/SC), os outros casos aconteceram em Biguaçu e Joinville na primeira semana do ano.

    O velório de Tatiana acontecerá nesta terça-feira (9) no Cemitério de Barreiros. A família não divulgou o horário do sepultamento.

    Leia mais:

    Vacinação contra Covid-19 em idosos com 90 anos começa em Florianópolis nesta quarta-feira

    Moradores atingidos por alagamento na Lagoa da Conceição fazem reivindicações à Casan

    Familiares de presos protestam por visitas em frente à Penitenciária de Florianópolis

    Parto empelicado: nascimento raro é registrado no Sul de SC

    Colunistas