nsc
santa

Coronavírus

Novos casos de Covid-19 despencam em Blumenau e número é o menor em 17 meses

Índice é chamado de média móvel e ficou abaixo de 30 pela primeira vez desde junho do ano passado

26/11/2021 - 12h30

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Blumenau vive o melhor cenário desde a chegada do vírus
Blumenau vive o melhor cenário desde a chegada do vírus
(Foto: )

Blumenau tem neste fim de novembro o menor número de novos casos de Covid-19 em 17 meses. A média de 27 diagnósticos nesta semana foi registrada pela última vez em 12 de junho de 2020. À época, porém, a pandemia ainda estava formando a primeira onda, com apenas seis mortes e menos de mil contaminados na cidade. Atualmente são 68,6 mil testes positivos e 674 vidas perdidas para a doença.

> Acesse para receber as notícias do Santa por WhatsApp

Para a Infectologia, a grande responsável pela melhora é o avanço da imunização contra o coronavírus. Até agora, 67% da população tomou as duas doses ou a dose única.

Na prática, é o melhor cenário em relação à média móvel (total de casos da última semana dividido por sete) desde a chegada do vírus, já que quando o número era menor ou igual a esse a pandemia ainda estava em ascensão. 

Segundo o infectologista Amaury Mielle, o principal diferencial que surgiu neste ano no Brasil e resultou nesta nova realidade tem nome: vacina.

> Supermercados de SC citam "risco de contágio" e mantêm obrigação do uso de máscaras

— Essa queda tem uma relação muito direta com o aumento da proteção vacinal — avalia.

Ele pontua também que os imunizantes impactam na quantidade de internados em UTIs e óbitos. Dados obtidos com exclusividade pelo Santa comprovam a percepção do médico. 

Nos últimos três meses, dos 83 blumenauenses que precisaram de internação em UTI, 48, mais da metade, não tomaram a vacina. Entre os que receberam, 12 tinham apenas a primeira aplicação. Ou seja, 72% das hospitalizações em casos graves foram de pessoas que não estavam totalmente protegidas.

No caso das mortes, a quantidade mensal está abaixo de 20 desde setembro, algo que só ocorreu em outubro do ano passado, quando o município registrou oito perdas, e em maio e junho de 2020, época em que a contaminação ainda estava no começo. Na sequência, porém, o aumento foi expressivo, registrando recordes negativos em março e abril.

Nesta quinta-feira (25), a prefeitura informou haver 159 moradores com o vírus ativo. São quatro dias neste patamar (abaixo de 200), o que representa o menor número de pacientes em tratamento desde 8 de maio do ano passado, mês em que o município registrava menos de dez casos por dia e tinha duas mortes contabilizadas.

Vacina e máscara

O cenário traz alívio, mas também serve de alerta. Estudos mostram que a cobertura vacinal precisa beirar os 90% para que a pandemia enfraqueça a ponto de se tornar uma endemia, conta o especialista. 

Blumenau, por exemplo, tem pouco mais de 70% vacinados com a primeira dose desde setembro. O desafio é não deixar quem se recusa a tomar o imunizante a causar uma nova onda, como tem sido visto na Europa.

— [Por isso liberar as máscaras neste momento] é precoce. Podemos ter “repiques” em casos e hospitalizações. Embora menor, há risco de contaminação em ambientes abertos. Vai ter aumento de casos, não há dúvida nenhuma. Poderiam protelar para um outro momento, preferencialmente quando a cobertura vacinal estiver acima dos 85% e com real estabilização e queda nos números — critica Mielle.

Blumenau acompanhou a decisão do governo do Estado de tirar a obrigatoriedade das máscaras em locais ao ar livre e que possibilitem o distanciamento social. A mudança entrou em vigor na quarta-feira (24).

Leia também

> Morte de menino de 9 anos por coronavírus em SC comove familiares: “Vá alegrar o céu, Davi”

> Infográfico mostra como o coronavírus age no corpo humano

> O vírus está nas roupas, nos sapatos, no cabelo ou no jornal?

Assista

Colunistas