nsc
    dc

    Pandemia

    Oito a cada 10 pessoas intubadas com Covid no Brasil na segunda onda morreram, aponta estudo

    Dados de hospitais públicos do país coletados por equipes da Fiocruz e da USP evidenciam fragilidade do sistema de saúde, segundo pesquisadores

    30/03/2021 - 16h03 - Atualizada em: 30/03/2021 - 18h00

    Compartilhe

    Por AFP
    Estudo apontou 83% de mortalidade entre pacientes intubados durante segunda onda de Covid-19 no Brasil
    Estudo apontou 83% de mortalidade entre pacientes intubados durante segunda onda de Covid-19 no Brasil
    (Foto: )

    A mortalidade de pacientes com Covid-19 intubados no Brasil durante a segunda onda da pandemia chega a 83,5%, segundo dados coletados por pesquisadores em hospitais do país, o segundo com mais óbitos no mundo.

    > Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    Esse índice evidencia a "fragilidade do sistema de saúde, que já vinha sofrendo com falta de investimento nos últimos anos, e ficou sobrecarregado pela grande quantidade de casos" do novo coronavírus, afirma o chefe do estudo, Fernando Bozza, da Fiocruz.

    A equipe de Bozza, associada à Universidade de São Paulo (USP), compila dados de hospitais públicos e privados desde 15 de fevereiro do ano passado.

    Um relatório sobre os primeiros 250.000 pacientes hospitalizados, publicado pela revista especializada The Lancet, mostrou que 78,7% dos pacientes com Covid-19 intubados entre 15 de fevereiro e 15 de agosto de 2020 não sobreviveram à doença.

    Essa taxa de mortalidade já era superior à de países como Reino Unido (69%), Alemanha (52,8%), Itália (51,7%) e México (73,7%).

    > Vídeo mostra névoa de oxigênio em caminhão de hospital em SC; entenda

    Mas a situação piorou com a segunda onda, com mortalidade que chegou a 83,5% entre 15 de novembro e 14 de março.

    Essa segunda onda também é caracterizada por uma "sincronização da epidemia, com todas as regiões afetadas ao mesmo tempo", ressalta Bozza.

    Mesmo assim, persistem disparidades regionais, com maior mortalidade de pacientes intubados nas regiões Norte (90,8%) e Nordeste (89,9%) em relação aos estados do Sudeste (79,8%).

    A taxa cai para 25% em um hospital particular de primeira classe, como o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, ou para 36%, no hospital público de referência Emilio Ribas, também localizado na capital paulista.

    Sete crianças morrem por Covid-19 em menos de 30 dias em Santa Catarina

    – Alguns hospitais estão tão sobrecarregados que há pacientes que precisam ser intubados fora de unidades de terapia intensiva. É o que ocorre com 17% deles na região Norte – afirma o pesquisador da Fiocruz.

    Bozza critica que "não houve coordenação em nível do governo federal em estabelecer o controle de pandemia e prover os recursos necessários para o atendimento dessa segunda onda".

    Mais de 313 mil pessoas morreram de coronavírus no Brasil, número superado apenas pelos Estados Unidos. A doença ainda está em fase de aceleração, com uma média de mais de 2.600 mortes por dia nos últimos sete dias, quase quatro vezes a total de 703 do início do ano.

    O presidente Jair Bolsonaro, que compareceu a multidões sem usar máscara e se opôs às medidas de distanciamento social alegando seu alto custo econômico, é alvo de críticas generalizadas.

    Leia também

    > Daniela Reinehr assume interinamente o governo de SC pela segunda vez

    > SC oficializa critério que define quem tem direito a leito de UTI quando há lotação

    > Com dois apagões em 20 dias, hospital improvisou alicate para manter energia elétrica

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas